dezembro 19, 2016

O cérebro de uma mãe muda, comprovamos por ressonância!

cérebro da mãe

Tudo muda depois da gravidez, ninguém nunca teve dúvida. Toda mulher se sente diferente depois de ser mãe, mas agora sabemos que isso é muito mais que uma sensação, pois comprovamos que a massa cinzenta do cérebro de uma mãe muda. A pesquisa realizada por cientistas da Universidade Autônoma de Barcelona (UAB) e do Instituto Hospital del Mar de Investigações Médicas (IMIM), com a colaboração da clínica IVI Barcelona acaba de ser publicada na revista científica Nature Neuroscience.

O estudo apresentou pela primeira vez como a maternidade provoca alterações duradouras na estrutura do cérebro da mulher, provavelmente destinadas a melhorar a capacidade da mãe para proteger e relacionar-se com o bebê.

Durante a gravidez a gestante passa por oscilações hormonais radicais e também adaptações biológicas, no entanto pouco se sabe sobre o que acontece com o cérebro materno, por isso a importância dos resultados desse estudo que pela primeira comparou a estrutura do cérebro das mulheres antes e depois da primeira gravidez.

Através de ressonância magnética foi possível observar pela primeira vez que o volume da massa cinzenta da mulher em determinadas regiões relacionadas com as relações sociais é diferente após a gestação. As mudanças morfológicas do cérebro identificadas são mantidas a longo prazo, ou ao menos até dois anos após o nascimento do bebê.

Dr. Agustín Ballesteros, diretor do IVI Barcelona que colaborou com a pesquisa, explicou que parte das regiões que sofreram mudanças são ativadas quando a mulher observa a imagem do seu bebê, e correspondem a uma especialização do cérebro para enfrentar os desafios de ser mãe.

O cérebro materno muda em todo tipo de gravidez

Que a gravidez tenha sido obtida de forma espontânea ou com a ajuda de um tratamento de reprodução humana não mudou em nada o nível de alteração cerebral apresentado.

O que muda no cérebro de uma mãe?

Foi observada uma redução do volume da massa cinzenta, mas isso não significa que há uma diminuição da inteligência, muito pelo contrário, acontece uma reestruturação do cérebro que se adapta para aumentar a sensibilidade da mãe para reconhecer mais facilmente o estado emocional do bebê e também para detectar expressões de ameaça, por exemplo.

Portanto, a perda de massa cinzenta não indicou e não parece implicar em déficit cognitivo.

Para chegar aos resultados divulgados, o estudo realizado durante 5 anos e 4 meses comparou imagens feitas por ressonância magnética de 25 gestantes antes e depois do parto, incluindo 19 parceiros dessas mulheres, e contou com um grupo de controle formado por 20 mulheres que nunca estiveram grávidas e tão pouco estavam durante o estudo, incluindo também 17 parceiros dessas mulheres.

Todas a gestantes que participaram do estudo sofreram alterações em sua massa cinzenta e estas alterações foram exclusivas delas, confirmando que as alterações biológicas acontecem durante o processo da gestação e não estavam relacionados ao nascimento do bebê, que costuma influenciar os pais.

Os pesquisadores afirmam que analisando o cérebro de uma mulher e observando suas alterações é possível saber se ela já teve filhos e inclusive prever o vínculo estabelecido com os bebês após o parto. Incrível, não?

Solicite a sua primeira consulta:

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up