SÊMEN DO CASAL

A Fertilização in Vitro (FIV) com sêmen do casal está indicada para:

  • Pacientes que tenham realizado tratamentos anteriores mais simples, como a Inseminação Artificial, sem sucesso.
  • Mulheres com ausência de trompas ou lesões tubárias que impedem a fecundação natural ou por inseminação artificial.
  • Mulheres com endometriose avançada ou profunda, com provável repercussão nas trompas e na qualidade dos óvulos.
  • Situações nas quais dispomos de um número limitado de óvulos.
  • Casos de fator masculino severo.

SÊMEN DE DOADOR

A Fertilização in Vitro (FIV) com doação de sêmen está indicada para:

  • Fator masculino severo, com má qualidade espermática.
  • Fracasso anterior de fecundação com esperma do casal.
  • Má qualidade embrionária ou fracasso de implantação repetido onde há suspeita de um fator masculino como causa principal.
  • Homens portadores de uma doença genética que não pode ser estudada nos embriões.

RESULTADOS

Confira os resultados clínicos do IVI neste site.

TECNOLOGIA

O IVI é pioneiro em tecnologia de reprodução humana para oferecer os melhores resultados.

ATENDIMENTO

97% dos nossos pacientes recomendam o IVI.
O IVI oferece atendimento personalizado e acompanhamento em todas as fases do tratamento.

QUALIDADE/PREÇO

Não somos a opção mais cara. Somos a que mais alternativas de tratamento oferece para conseguir os melhores resultados.

PROCEDIMENTO

Nas clínicas de reprodução humana do grupo IVI oferecemos um diagnóstico personalizado para identificar o melhor tratamento para cada causa de infertilidade.

Inseminação Artificial

Estimulação ovariana

A estimulação ovariana na a Fertilização in Vitro  (FIV) é necessária para em um único ciclo obter mais óvulos, uma parte fundamental para o sucesso do tratamento, já que existe o risco de que nem todos os óvulos fecundados se desenvolvam ou sejam viáveis para a implantação no útero materno.

Para estimular a produção de óvulos é realizada a administração de medicamentos com dosagem personalizada, acompanhamento através de ultrassonografia (entre 3 ou 4) e medição de dosagens hormonais durante um período aproximado entre 10 a 12 dias. Durante este processo é observado o desenvolvimento dos folículos, que são uma espécie de capsulas que protegem e guardam os óvulos até o momento da ovulação.

Fertilização in vitro

Punção e laboratório

Quando comprovamos através de ultrassonografia que os folículos alcançaram a dimensão adequada e considerarmos que se encontra disponível um número adequado de óvulos, programamos a punção folicular por volta de 36 horas depois da administração de uma injeção de hormônio hCG, que induz a maturação ovariana de forma idêntica ao ciclo natural.

A punção é realizada em sala de operações e sob anestesia, com o objetivo de que a paciente não sinta nenhum tipo de incômodo durante o procedimento, cuja duração é de aproximadamente 15 minutos.

Fertilização in vitro

Fecundação dos óvulos

Uma vez obtidos os óvulos maduros, depois da realização da punção folicular, e preparação dos espermatozoides, que normalmente são obtidos a partir da uma amostra de sêmen coletada no mesmo dia, é realizado o processo de fertilização dos óvulos no laboratório de embriologia.

Este processo pode ser realizado através da técnica Fertilização in Vitro (FIV) convencional, que como comentado anteriormente, consiste na colocação de um óvulo na placa de cultivo rodeado por espermatozoides, ou através da ICSI, que consiste na introdução de um espermatozoide dentro do óvulo, mediante a punção do mesmo.

Fertilização in vitro

Cultivo embrionário em laboratório

O período de cultivo embrionário se refere aos dias em que o óvulo fecundado é observado diariamente e classificado com relação ao parâmetro de desenvolvimento adequado à normalidade e compatíveis com a vida.

Durante esta fase, alguns embriões podem chegar a bloquear o seu desenvolvimento devido a falhas espontâneas natural do processo de divisão celular humana.

Dependendo da indicação, em um determinado momento do processo de desenvolvimento do embrião pode ser realizada a biópsia de embrião para a retirada de algumas células para o estudo genético que avalia a saúde e viabilidade embrionária com relação aos riscos de alterações genéticas que podem impedir o desenvolvimento e saúde do embrião.

Durante a espera do estudo genético do embrião, o mesmo permanece na incubadora, dependendo do dia de desenvolvimento, ou é congelado (vitrificado), enquanto somente as células retiradas para a análise são enviadas ao laboratório de genética.

Fertilização in vitro

Transferência

A transferência embrionária consiste na introdução dos melhores embriões no interior do útero materno. O procedimento é realizado em ambulatório, apesar de neste caso não ser necessário administrar uma anestesia, já que é um processo rápido e indolor.

Fertilização in vitro

Congelamento dos embriões

Após a realização da transferência dos embriões ao útero materno, realizamos a vitrificação (congelamento) dos embriões restantes de boa qualidade, com o objetivo de preservar os mesmos para um ciclo de tratamento futuro sem necessidade de nova estimulação ovariana.

INDICAÇÕES DA FERTILIZAÇÃO IN VITRO

A indicação da Fertilização in Vitro é realizada após o estudo da fertilidade do casal, que é comprovada através de exames específicos e análise do histórico familiar. O diagnóstico inclui exames hormonais, morfológicos e genéticos tanto no homem quanto na mulher. Os casos onde a FIV é indicada incluem:

  •  Idade materna superior a 35 anos.
  • Alterações no resultado do espermograma.
  • Obstruções na trompa.
  • Laqueadura.
  • Vasectomia.
  • Fatores genéticos de infertilidade.
  • Casos de aborto de repetição.
  • Tratamentos para evitar doenças hereditárias.

TÉCNICAS COMPLEMENTARIAS À FERTILIZAÇÃO IN VITRO

 

A fecundação dos óvulos pode ser realizada mediante a técnica de FIV convencional, onde os espermatozoides selecionados são colocados junto ao óvulo em uma placa de cultivo para que um deles realize a penetração ou através da Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides (ICSI), onde um único espermatozoide selecionado é diretamente introduzido no óvulo com a ajuda de uma pipeta.

Dependendo da necessidade dos pacientes, a Fertilização in Vitro pode ser complementada com técnicas genéticas de personalização do tratamento com o objetivo de maximizar sua efetividade e reduzir os riscos para a saúde do bebê. São elas:

  • Teste ERA – Comprovação do período de receptividade endometrial.
  • Teste CGT – Comprovação de compatibilidade genética do casal, especialmente indicado em caso de consanguíneos e quando há conhecimento que um dos membros do casal é portador de uma doença genética.
  • PGD – Estudo genético do embrião para identificar aqueles que são portadores de doenças genéticas hereditárias.
  • PGS – Estudo genético do embrião indicado em casos onde há um risco maior de alterações genéticas não hereditárias, tais como a Síndrome de Down e outras cromossopatias.

Solicite informação sem compromisso