Inseminação Artificial

A Inseminação Artificial (IA), também conhecida como Inseminação Intrauterina (IIU), consiste na colocação de uma amostra de esperma, preparada previamente no laboratório, no interior do útero materno a fim de aumentar o potencial de fecundação dos espermatozoides.

Inseminação Artificial

A Inseminação Artificial (IA), também conhecida como Inseminação Intrauterina (IIU), consiste na colocação de uma amostra de esperma, preparada previamente no laboratório, no interior do útero materno a fim de aumentar o potencial de fecundação dos espermatozoides.

O que é Inseminação Artificial?

play_arrow

Em que casos é indicado?

Sêmen do casal

Indicações da Inseminação Artificial:


  • Casais jovens com esterilidade de origem desconhecida.
  • Idade materna menor ou igual a 35 anos.
  • Casais em que a mulher jovem apresenta irregularidades de ovulação.

  • Casos de alteração no colo do útero.
  • Casais onde o homem apresenta alterações leves ou moderadas nos resultados do estudo do esperma (espermograma) em termos de concentração ou mobilidade.
  • Mulheres solteiras e férteis que desejam ter filhos utilizando sêmen de doador.
  • União homoafetiva entre mulheres férteis que desejam ter filhos utilizando sêmen de doador.
Sêmen de doador

Indicações da Inseminação Artificial:


  • Homens com má qualidade de esperma ou ausência de espermatozoides.
  • Homens portadores de uma doença genética que não pode ser detectada nos embriões.
  • Casos de mulheres sem parceiro masculino.
RESULTADOS

Confira os resultados clínicos do IVI neste site.

ATENDIMENTO

97% dos nossos pacientes recomendam o IVI.
O IVI oferece atendimento personalizado e acompanhamento em todas as fases do tratamento.

TECNOLOGIA

O IVI é pioneiro em tecnologia de reprodução humana para oferecer os melhores resultados.

QUALIDADE-PREÇO

Não somos a opção mais cara. Somos a que mais alternativas de tratamento oferece para conseguir os melhores resultados.

Procedimento

Para que o tratamento de inseminação tenha êxito é necessário que pelo menos uma das trompas seja permeável e que o sêmen do homem contenha uma concentração mínima de espermatozoides móveis que permita considerar esta técnica como uma opção viável de tratamento da infertilidade.

Considerada uma técnica de baixa complexidade, a Inseminação é um procedimento simples quando comparado com a Fertilização in Vitro (FIV), porque a fecundação do óvulo acontece dentro do corpo da mulher, enquanto na FIV o óvulo é fecundado no laboratório de embriologia e cultivado em incubadoras específicas até o momento ideal para o embrião de ser introduzido no útero materno.

Na Inseminação Artificial, o apoio médico consiste em acompanhar o desenvolvimento do óvulo através de ultrassonografias e coletar o sêmen para prepará-lo e introduzi-lo através do colo uterino no momento exato em que o óvulo está pronto para ser fecundado, aumentando as chances de gravidez natural do casal.

Estimulação ovariana e indução da ovulação

Durante o tratamento realiza-se uma série de ultrassonografias – entre 3 e 4 – para acompanhar o desenvolvimento dos folículos. Também é realizada a comprovação do nível de estradiol no sangue para confirmar que o crescimento e a evolução dos folículos se encontram dentro da normalidade ou fazer adaptações de dosagens de medicamentos, caso necessário.

Quando comprovado através de ultrassonografia que os folículos atingiram a quantidade e o tamanho adequados, a inseminação artificial é programada para cerca de 26 horas após a administração de uma injeção hCG que induz a maturação ovariana e a ovulação.

Preparação do esperma

Punción y laboratorio
Ovocitos

Inseminação

Aproximadamente 2 horas antes do procedimento, o Laboratório de Andrologia irá processar a amostra de esperma coletada no momento para a preparação e capacitação.

Dispondo do sêmen preparado e o tempo de maturação do óvulo transcorrido, a inseminação acontece com a ajuda de um espéculo para manter abertura do canal, com incômodos não superiores aos de um Papanicolau, e introdução de uma cânula através do colo uterino, por onde será depositada a amostra de espermatozoides no interior do útero.

Pós-procedimento

Não é necessária a internação da paciente para realizar a Inseminação Artificial. Após uma recuperação, que costuma ser rápida, é dada a alta para a paciente, que nos próximos dias poderá manter o ritmo de vida normal sem realizar muitos esforços até a espera do resultado do teste de gravidez Beta HCG, que é agendado para aproximadamente duas semanas após o procedimento.

Quando a inseminação artificial não é indicada?

  • Idade materna superior a 35 anos, já que as chances de sucesso da inseminação são muito reduzidas para pacientes a partir dessa idade.
  • Risco de doenças genéticas que requerem que seja realizado um estudo dos embriões no laboratório antes da gravidez para garantir a saúde do bebê, o que é possível apenas com a Fertilização in Vitro.
  • Casos de laqueadura ou vasectomia, pois em ambas situações existe uma obstrução que impede o encontro do óvulo com o espermatozoide.
  • Casos de endometriose, dependendo do estágio de avanço e regiões afetadas pelos focos da patologia
  • Alterações graves de fertilidade masculina.

Solicite mais informações

Voltar ao topoarrow_drop_up