julho 15, 2015

Prepare-se para a chegada do bebê

chegada do bebê

Tudo muda depois de ter filhos. Quem nunca ouviu que a chegada do bebê muda por completo a rotina e até mesmo a forma de pensar dos pais? A vida de casal sem filhos tem como preocupação única cuidar um do outro e conciliar a agenda às necessidades individuais de cada um. Com a chegada do bebê em casa, esta pequena criatura que você acaba de conhecer, já é a melhor coisa que aconteceu na sua vida, consequentemente terá prioridade máxima.

Ficam para trás, pelo menos por um bom tempo, virar a noite com os amigos, finais de semana românticos decididos de repente e, dormir sem se preocupar com a hora de acordar, entre outras coisas… No seu lugar você vai viver novos e intensos momentos de felicidade que certamente vão fazer você sentir que todo sacrifício vale a pena.

O casal precisa preparar-se para não ser pego de surpresa nessa mudança de vida. Por isso aqui, com a ajuda da unidade de psicologia do IVI contamos como cada parte vive a chegada do bebê.

Como a chegada do bebê afeta a relação do casal?

Sentimento da mãe

  • Absoluta dependência do bebê, que requer sua atenção 24 horas por dia;
  • O parto, suas consequências físicas e a amamentação geram uma revolução hormonal;
  • É possível que no começo aconteça uma diminuição da libido e autoestima;
  • A inexperiência de mãe de primeira viagem desperta muitas dúvidas com as quais a mãe não sabe muito bem como lidar;
  • O peso das responsabilidades e o sentimento de incapacidade de resolver tudo pode gerar frustração. Este momento é chave para que o homem se mostre disposto a assumir responsabilidades e efetivamente colabore, mas também para a mulher não bancar a heroína e dizer claramente (não apenas insinuar) que precisa de ajuda;
  • É muito comum sentir uma melancolia alguns dias após o parto conhecida como “baby blues” ou “blues puerperal”, este sentimento de tristeza, insegurança e choro é provocado pelos hormônios, no entanto, se este estado emocional perdurar é preciso procurar um especialista, pois pode desencadear uma depressão pós parto, que é um problema sério.

Sentimento do pai

  • A forma que o pai vive a gravidez e o parto foi por meio de uma perspectiva externa e indireta;
  • Por isso, o processo de apego só inicia após o nascimento;
  • Da mesma forma que acontece com a mulher, a paternidade também gera dúvidas e insegurança;
  • A inexperiência pode gerar indecisão e um sentimento de impotência na hora de fazer sua parte nas tarefas domésticas resultando em frustração. Nesses momentos é importante que a mulher faça com que ele sinta que têm um papel imprescindível e complementar à figura materna.

Papai deslocado

O bebê exige muita atenção da mãe, pois precisa de proteção, alimento, afeto e é muito pequeno para ter a mais mínima independência. Esta necessidade rapidamente faz com que a união mãe e bebê seja tão intensa que ambos permaneçam quase inseparáveis.

A relação estabelecida entre mãe e filho(a) nos primeiros dias ou meses da chegada do bebê pode provocar que o pai se sinta de escanteio, com certo ciúme de tamanha conexão e carente da atenção que recebia antes da chegada do novo membro da família. Para ajudá-lo a superar este sentimento é preciso incluí-lo nesta conexão, a final ele é parte deste novo projeto de vida e quer sentir que é valioso. A união familiar é isso todos se apoiam e se necessitam.

O desafio do casal que entra nessa nova fase da vida é conciliar os papeis que desempenha. São pais, mas continuam sendo um casal que precisa manter sua relação saudável e ter seus momentos íntimos. Cuidar-se entre si para que ninguém se sinta deslocado, dando e recebendo apoio é a chave do sucesso para uma família unida e sólida.

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up