julho 22, 2022

Dúvidas e mitos da atividade física na gravidez

Dúvidas e mitos da atividade física na gravidez

Comitê Editorial IVI Salvador

As mulheres que realizam algum procedimento de reprodução assistida precisam de uma atenção especial em relação às suas rotinas e atividades. E isso vale tanto para o antes quando para o depois do procedimento.

Durante a fase de estimulação ovariana, uma das etapas iniciais de tratamento; é recomendável levar uma vida mais tranquila. Nesse momento, os ovários aumentam de tamanho por causa das gonadotrofinas; que é o hormônio utilizado para promover a estimulação ovariana.

Com o aumento de tamanho dos ovários, a paciente pode se sentir incomodada ao se movimentar. Existe ainda o risco de um fenômeno chamado “torção ovariana”. Justamente por esse motivo, é recomendado consultar um médico especialista sobre que tipo de exercício físico poderá ser praticado neste período.

Depois de passar pelo tratamento de Fertilização in Vitro (FIV) e receber alta, a mulher precisa obedecer algumas regras. Isso será determinante para que o tratamento tenha o sucesso esperado. É o momento em que o procedimento está quase finalizado. Cabe esperar que os embriões, agora instalados no útero materno, se fixem estabelecendo as conexões que confirmarão o sucesso do procedimento.

Recomenda-se não realizar exercícios intensos ou que demandem grande esforço físico nesse momento específico. Após a confirmação a gravidez, aí sim as atividades físicas podem ser retomadas, como para qualquer outra gestante. Mas com cautela.

“Durante o procedimento, se a mulher fizer um esforço excessivo, como atividades intensas, ou carregar muito peso, existe a possibilidade de o embrião se deslocar. Ao sair do lugar, ele pode não ser implantado no útero”, explica Genevieve Coelho, diretora médica do IVI Salvador.

 

Mulheres grávidas podem e devem praticar exercícios físicos

Ao contrário do que todo mundo pensa, a gravidez não deve ser associada a repouso ou recolhimento. Muito menos com a parada repentina de toda a rotina de vida e de atividades físicas.

Durante muitos anos, no passado, as grávidas se mantinham no mais absoluto repouso, mesmo estando com a saúde em dia. Mas o tempo passou, os hábitos mudaram. Felizmente!

Estudos científicos atuais mostram que o exercício físico faz bem não só para mãe, mas também para a criança. Com o acompanhamento correto e a autorização dos médicos, a mulher pode sim praticar a atividade física. Desde que não haja um exagero. A exceção é em caso de razões médicas contrárias.

A prática moderada de exercícios ajuda a animar as gestantes. Além disso, colabora no controle do ganho de peso durante a gravidez, uma preocupação para muitas mulheres que passam a ter desejos e comer de uma forma um pouco mais desregulada.

Praticar algum tipo de esporte pode trazer muitos benefícios e ajudar a amenizar muitas das queixas que surgem na gravidez.

O exercício fortalece o sistema musculoesquelético, ajudando assim a aliviar dores nas costas, melhorar a circulação e ativar o metabolismo. A atividade física colabora também na redução dos enjoos e tonturas, e ajuda na prevenção da trombose e doenças venosas.

O líquido acumulado nos tecidos, típico da gravidez, também é reduzido. O fornecimento de oxigênio para o corpo melhora não só para mãe, mas consequentemente para o bebê também.

Entre os benefícios da prática esportiva está incluída a diminuição da diabetes gestacional, um problema que preocupa as futuras mamães.

 

Tentantes precisam se preparar e exercícios também são aliados

Para as mulheres tentantes, também é recomendada a prática de exercícios físicos. Os benefícios para o corpo e para a mente são inúmeros. Eles ajudam a diminuir o estresse do dia a dia e do processo de tentar uma gravidez.

Além de ajudar a dormir melhor, proporcionar mais vitalidade e força ao corpo e a manter o peso adequado.

É importante lembrar que em parte dos casos, a infertilidade pode estar associada aos hábitos de vida. Uma vida sedentária, sem rotina de exercícios físicos, com alimentação rica em carboidratos ou alimentos gordurosos e pesados pode interferir diretamente na realização dos sonhos dessas mulheres.

Portanto, para as mulheres que ainda não estão grávidas, mas que estão na busca de realizar esse sonho, a prática de atividades físicas também é uma grande aliada.

 

Quais são as atividades físicas mais recomendadas

Durante a gravidez, todo o sistema cardiovascular, a respiração e o sistema musculoesquelético estão sujeitos a uma tensão durante cerca de 40 semanas. Por disso, é importante não exagerar no que diz respeito à atividade esportiva, em termos de intensidade e de quantidade de minutos praticados.

Uma carga excessiva pode provocar a redução do fornecimento de sangue e oxigênio para o bebê. O aumento do fornecimento sanguíneo para os músculos também pode ter um efeito prejudicial sobre a perfusão placentária. Os hormônios da gravidez tornam articulações e ligamentos mais flexíveis, para que a cabeça do bebê possa passar pela pélvis no parto.

Por isso, a gestante tende a estar mais propensa a lesões. Mas não significa que deva estar parada e em repouso. O alerta é que é permitido fazer exercício, desde que a intensidade seja adaptada à gravidez.

O primeiro passo para a gestante decidir sobre uma atividade, é ter a liberação do médico que a acompanhará durante os nove meses. Saber que, do ponto de vista de saúde, não existe restrição.

Depois, aí sim ela pode escolher a atividade com carinho e atenção. Gostar do exercício que será praticado é o segredo para não desistir.

O próximo passo é encontrar um profissional de educação física, que fará o acompanhamento durante a gestação. Isso é muito importante, pois esse profissional vai realizar a prescrição dos exercícios tendo em vista o contexto da gravidez, o histórico anterior dessa mulher (avaliar se ela já levava uma vida ativa, quais esportes praticava, etc).

Criar a rotina correta de atividade física – acompanhada de uma alimentação equilibrada – vai ajudar na manutenção do peso ideal e evitar aqueles processos em que as mulheres ganham muitos quilos durante a gestação.

Não existe um padrão sobre quantas vezes a mulher grávida deve se exercitar por semana, ou tempo médio ideal. Cada caso será individualizado e cada mulher deve seguir a orientação dos profissionais que a acompanham – tanto o profissional de educação física quanto o médico.

 

Pilates, Natação e Hidroginástica são as preferidas

Algumas modalidades de exercícios são mais disputadas pelas gestantes. A natação, que tonifica a musculatura e aumenta o fôlego e a resistência é uma das prediletas!

A hidroginástica, que melhora a capacidade cardiovascular, tonifica os músculos e promove relaxamento também é uma queridinha das futuras mamães. Isso porque a água reduz o peso da barriga durante os exercícios e o impacto nas articulações.

Outra opção muito buscada é o pilates, que fortalece a musculatura da pélvis ajudando a sustentação do peso da barriga e favorecendo o parto normal.  Também fortalece os músculos do abdômen melhorando a postura.

O Grupo IVI é líder mundial em reprodução assistida. São 80 clínicas em 9 países e 7 centros de pesquisa em todo o mundo. Em 2022, o IVI Salvador completa 12 anos ajudando casais a realizar seu sonho de ampliar a família. Agende sua consulta.

Solicite a sua primeira consulta:

Comentários estão fechados.

Voltar ao topoarrow_drop_up