março 25, 2014

Exame NACE PLUS: alternativa não invasiva para detectar alterações cromossômicas

Quem passou por dificuldades de engravidar costuma ter mais medos e inseguranças durante a gestação, principalmente se existiram perdas gestacionais anteriores. O primeiro ponto importante que você deve saber é que o fato do embrião ter sido introduzido no útero materno agrega riscos à gravidez. Os eventuais riscos que existam, serão por outros fatores, como por exemplo idade materna avançada e alterações morfológicas do aparelho reprodutor.

Com relação à idade materna avançada, que aumenta o risco de alterações cromossômicas no feto, o que pode levar a trissomias como a síndrome de down ou causar o aborto espontâneo de primeiro trimestre. Existe uma forma de estar tranquila a partir da décima semana de gravidez com a realização do teste pré-natal não invasivo NACE Plus. Este teste é a alternativa à amniocentese e a biopsia corial que não representa risco para a gravidez, ao contrário dos exames citados anteriormente.

Dependendo da idade da mulher, os riscos de anomalias genéticas aumentam, por exemplo, a probabilidade de uma mulher de 20 anos ter um filho com síndrome de Down é de 1 para 1600. Com mães entre 30 e 35 anos, a chance é de 1 para 365 e incrementando com a idade, sendo de 1 para 80, em mulheres acima de 40 anos. “Portanto, adiar a gravidez para um momento futuro acaba exigindo maior cuidado e mais análises durante o período pré-natal, além de que atualmente as mulheres estão mais informadas sobre os avanços tecnológicos e demandam uma maior qualidade assistencial”, conforme explicam as embriologistas Cintia Pimentel e Michelle Borges, do IVI Salvador.

detectar alterações cromossômicas

Com uma simples extração do sangue materno, o teste NACE Plus permite conhecer se existem cópias a mais ou a menos dos cromossomos – fenômeno também poderia ser chamado aneuploide –, de forma mais precisa, correspondentes aos pares 21, 13, 18, 9 e 16, além dos sexuais (X e Y), e assim descartar grande parte das causas de aborto de primeiro trimestre e também o risco do embrião padecer da síndrome de Down, síndrome de Edwards, síndrome de Patau, ou possui alteração numérica dos cromossomos sexuais. Trata-se de um exame não invasivo onde a mãe e o bebê não correm perigo, já que a extração de sangue consiste em uma análise comum; diferente da amniocentese e a biopsia Coria, que são exames invasivos onde existe um pequeno risco de abortamento (0,5%-2%).

O exame NACE Plus permite detectar a síndrome de Down com 99.9% de fiabilidade. Este exame pré-natal, não invasivo, é realizado no Brasil através da IVIOMICS – que é a parte do grupo IVI que realiza investigações e análises genéticas – estando à disposição dos pacientes IVI que tanto por prescrição médica ou por decisão própria, querem realizar um diagnóstico cromossômico do feto.

Consulte seu ginecologista ou entre em contato conosco para saber mais.

 

Solicite a sua primeira consulta:

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up