julho 29, 2014

Óvulos vitrificados e frescos são igualmente efetivos

Resultados de pesquisa sobre vitrificação de óvulos confirmam a eficácia da técnica de congelamento rápida comparada à utilização de óvulos frescos.

A vitrificação de óvulos oferece atualmente resultados clínicos altamente efetivos, o que converte esta técnica como primeira opção para tratamentos de preservação da fertilidade da mulher tanto por necessidade médica (câncer, hiperestimulação ovariana), quanto por razões sociais (adiar a maternidade). Esta foi uma das principais conclusões apresentadas pela Dra. Ana Cobo, diretora do laboratório de criopreservação do IVI, após estudo dos resultados dos últimos 5 anos de uso de óvulos vitrificados em tratamentos de reprodução humana.

O que são óvulos vitrificados?

vitrificação de óvulos

Os óvulos vitrificados, para estarem congelados e manterem as mesmas qualidades dos óvulos frescos, são tratados com substâncias crioprotetoras e imersos em nitrogênio líquido a uma temperatura de 196º negativos. “Atualmente, diversas pesquisas confirmam que a vitrificação de óvulos oferece ótimos resultados clínicos tanto para doação de óvulos, quanto para tratamentos de reprodução humana” explica a doutora. A taxa de sobrevivência dos óvulos vitrificados é 90% e a taxa clínica de gravidez é praticamente igual para óvulos frescos e vitrificados.

A vitrificação de óvulos também é utilizada quando a mulher precisa acumular óvulos em vários ciclos ou postergar a data da fertilização.

Perspectiva atual após 5 anos de vitrificação

A pesquisa realizada sobre os 5 anos de utilização da vitrificação de óvulos em preservação da fertilidade por razões médicas e sociais, apresenta as expectativas reais das mulheres que após superar o câncer podem ter filhos utilizando seus próprios óvulos vitrificados. Fato que tem aumentado a colaboração interdisciplinar entre os especialistas em reprodução humana e oncologistas na orientação dos pacientes e nos casos onde as pacientes desejam preservar sua fertilidade, conscientes dos efeitos nocivos do tratamento de quimioterapia que afeta mulheres e também homens.

A primeira vitrificação de óvulos teve inicio no IVI em 2007 e, desde então, mais de mil pacientes preservaram sua fertilidade através desta técnica nas várias clínicas do Grupo IVI, 560 destas pessoas fizeram por motivos sociais e 620 por motivos oncológicos.

Pacientes que queiram preservar sua fertilidade antes de iniciar tratamento contra o câncer têm facilidades de acesso através do programa de Responsabilidade Social das clínicas do IVI em Salvador e São Paulo.

Para mulheres que pretendem preservar a fertilidade por razões pessoais ou profissionais é recomendável procurar a orientação ginecológica antes dos 35 anos, pois após esta idade a reserva ovariana começa a diminuir com mais intensidade da mesma forma que os riscos de doenças cromossômicas e abortamento aumentam.

 

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up