agosto 5, 2015

Semana Mundial de Amamentação

amamentação

Na primeira semana de agosto é celebrada a Semana Mundial de Aleitamento Materno cujo objetivo é conscientizar sobre a importância da amamentação e dessa forma melhorar a saúde dos bebês de todo o mundo. Mas o que acontece se a mãe não conseguir amamentar? Pois nem sempre está em jogo somente a vontade de amamentar. Nestes casos será um problema para o bebê se a mãe não puder ou inclusive não quiser dar de mamar?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno pelo menos até o bebê atingir 6 meses de idade, e também todos os médicos. O leite materno é ideal tanto para atender as necessidades dos bebês, quanto por questões econômicas. Outra recomendação da OMS para garantir a produção do leite materno é colocar os bebês em contato direto com a mãe logo após o parto por pelo menos uma hora e estimular a mãe a identificar se o bebê está pronto para ser amamentado e oferecer ajuda se necessário.

Os benefícios da amamentação vão desde o desenvolvimento dos laços entre mãe e bebê até o aumento da imunidade da criança, sendo a melhor fonte de nutrientes que existe para começar os primeiros meses de vida. Mas se por recomendação médica ou por condições maternas não seja possível amamentar, ou caso seja preciso tanto amamentar quanto dar mamadeira, fique tranquila, seu bebê também pode crescer e desenvolver-se saudável.

Comparação: leite materno vs. leite de fórmula

O leite materno inclui anticorpos que reforçam o sistema imunológico do bebê, bem como hormônios e outras substâncias que contribuem para o correto desenvolvimento. Além disso, o leite materno aporta nutrientes que promovem um satisfatório desenvolvimento cerebral, é muito mais digestiva e, portanto, minimiza problemas como diarreia ou prisão de ventre.

O leite de fórmula, por outro lado, aporta maior quantidade de vitamina D, um nutriente necessário para prevenir o raquitismo – uma doença que debilita os ossos – e tem como seu principal diferencial a comodidade de não depender do peito, permitindo que a relação da amamentação seja também feita pelo pai, ajudando a fortalecer o vínculo pai-bebê.

10 razões para dar o peito:

  1. O leite materno é o melhor alimento e melhor bebida que pode ser dado a um bebê até 6 meses
  2. Supre as necessidades nutricionais para o adequado crescimento e desenvolvimento físico saudável do bebê
  3. A composição do leite materno vai variando ao longo das etapas do bebê e inclusive ao longo do dia, para proporcionar a quantidade exata de nutrientes
  4. Contêm anticorpos que aumentam a proteção do bebê contra uma série de doenças
  5. Bebês alimentados com leite materno apresentam menos diarreia, infecções respiratórias, urinárias e de ouvido
  6. Quando crescem, os bebês que foram amamentados com leite materno são menos propensos a desenvolver asma, diabetes, alergias, dermatite atópica, obesidade e câncer
  7. Ajuda a criar um vínculo especial entre mãe-bebê e uma adequada relação de apego
  8. Mães que amamentam têm menos sangramento e recuperam antes o peso anterior à gestação, além disso, existem estudos que relacionam a amamentação com a redução de casos de câncer de mama e de ovários
  9. Ao atrasar o retorno às menstruações, a lactância permite preservar mais ferro, que compensa de forma fisiológica as perdas desse nutriente produzidas durante o parto
  10. O leite materno possui um impacto ambiental nulo, pois não requer consumo de energia elétrica, água e nem gera resíduos.

 

10 razões para dar mamadeira

  1. O leite de fórmula permanece mais tempo no estômago do bebê, saciando a fome do mesmo durante 3 ou 4 horas
  2. Permite facilmente controlar a exata quantia de leite que o bebê consome
  3. A mamadeira permite que o pai amamente o bebê, sendo uma maneira de reforçar o vínculo paterno
  4. A mãe pode retornar sua dieta e costumes alimentares habituais porque não repercutirá no bebê
  5. Dando mamadeira, a mãe pode retornar com medicações que consome, incluindo anticoncepcionais
  6. A mãe evita sintomas que ocasionalmente acontecem quando dá o peito que podem interferir na relação do casal, como dor no peito, mastite e vagina seca
  7. Dar a mamadeira é a opção para mães portadoras de HIV
  8. Quando é necessário voltar ao trabalho e não é possível amamentar no mesmo ritmo, o leite de fórmula será um grande aliado
  9. Com a mamadeira é possível alimentar o bebê em lugares públicos onde a mãe poderia se sentir incômoda em dar o peito
  10. É possível dormir mais, tanto porque o leite de fórmula é digerido mais lentamente, quanto porque é possível revezar com o pai a tarefa de levantar de noite para dar a mamadeira

Se você está decidida a amamentar – a melhor opção – o ideal é preparar o peito antes, se já sabe que não poderá amamentar, também é preciso conversar com o seu obstetra porque após o parto ele irá prescrever uma medicação oral que impede a produção do leite materno.

Solicite a sua primeira consulta:

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up