maio 27, 2020

O cigarro também mata o sonho de ter um filho

cigarro

Comitê Editorial IVI Salvador

Dia 31 de maio é o Dia Mundial sem Tabaco. Este dia existe para conscientizar as pessoas do risco que o cigarro e a nicotina apresentam para saúde. A data foi criada no ano de 1987 pela OMS (Organização das Nações Unidas) com o intuito de alertar para as doenças ocasionadas pelo tabagismo. Denominamos tabagismo a doença causada pela dependência da nicotina.

Nós já sabemos que o uso do cigarro é maléfico para todos. Mas, para as casais que estão na tentativa de engravidar é ainda pior. O cigarro é responsável pela diminuição da fertilidade em homens e mulheres. Além do cigarro, outros produtos originados do tabaco também são prejudiciais à saúde: charutos, narguilé e cachimbo, por exemplo.

Associamos a doença do tabagismo a diversos problemas, como câncer, doenças cardíacas, doença pulmonar, etc. As toxinas encontradas no cigarro além de prejudicar os pulmões e o sistema cardiovascular, prejudicam também o sistema reprodutor. Muitos casos de infertilidade estão ligados ao uso contínuo do cigarro, pelo homem ou pela mulher.

Perturbações comportamentais e obesidade são fatores que aparecem ou se agravam na vida de fumantes. E na gravidez o tabagismo é ainda pior, pois além de prejudicar a mãe, atinge também a saúde do feto.

Como o uso do cigarro pode afetar o sistema reprodutor masculino?

Diferente das mulheres, os homens não tem o hábito de consultar o médico regularmente. A maioria deles só busca ajuda médica quando estão com alguma enfermidade.

Um dos maiores temores dos homens é a disfunção erétil. E o tabagismo é um dos causadores desse problema. O uso contínuo do cigarro tende a entupir veias e artérias, dificultando o fluxo sanguíneo, inclusive na região peniana. Quando o uso do cigarro é associado a outros problemas de saúde, como obesidade, sedentarismo e hipertensão, a disfunção erétil tem maior chance de acontecer, principalmente após os 50 anos de idade. Além disso, o desempenho sexual do homem tende a reduzir, juntamente com a libido.

O cigarro também pode afetar a qualidade e a quantidade de espermatozoides. Ele influencia diretamente na formação dos espermatozoides, podendo ocorrer à redução da concentração, morfologia e motilidade dos gametas. Esse conjunto de fatores pode levar inclusive, a infertilidade masculina.                                     

E qual a influência do cigarro no sistema reprodutor feminino?

O sistema reprodutor feminino é bastante sensível e por isso, é bastante afetado por doenças. Endometriose, miomas, cistos e SOP (Síndrome de Ovários Policísticos) são alguns exemplos. Por isso, na mulher, os malefícios devido uso do cigarro se agravam ainda mais. O sistema reprodutor feminino é diretamente afetado por este vício.

As consequências podem ser diversas:

  • Problemas nas tubas uterinas, obstrução e risco de gravidez ectópica (quando a gravidez ocorre fora da cavidade uterina);
  • Menopausa precoce (fim da fase reprodutiva da mulher);
  • Deformações no colo do útero, incluindo o câncer cervical;
  • Baixa reserva ovariana (redução na quantidade e qualidade dos óvulos);
  • Elevado risco de aborto espontâneo, comprometimento da placenta e do desenvolvimento do feto;
  • Mudanças na receptividade endometrial (revestimento interno do útero);
  • Infertilidade (dificuldades para engravidar).

Os efeitos da nicotina no desenvolvimento do bebê 

A nicotina e outras várias substâncias presentes no cigarro podem gerar diversas complicações para o feto. Prematuridade, malformações, restrição no desenvolvimento e até a morte. Estes são os principais efeitos causados pela nicotina. Isso acontece devido à má oxigenação da placenta.

Os filhos de mulheres fumantes tem menos oxigênio na barriga da mãe, então, geralmente tem baixo peso e são menores. Além de toda a complicação que pode ocorrer ainda na barriga da mãe, após o nascimento, o bebê pode desenvolver distúrbios respiratórios, como asma e bronquite.

A amamentação também pode ser afetada pelo cigarro. Podem derivar em problemas de sono, cólicas, náuseas e vômitos se amamentados por mães fumantes, pois o leite materno também é contaminado pela nicotina.

Stress na infância também pode acontecer devido ao uso do cigarro pelos pais.  Além do mais, essas crianças têm muito mais chances de se tornarem fumantes na fase adulta.

Como se livrar do cigarro e se libertar deste mal hábito

O cigarro possui um total de mais de 4.500 substâncias tóxicas. Mais de 40 dessas substâncias são cancerígenas. O uso contínuo do cigarro é uma das principais causas de morte no Brasil e no mundo. Mas, eliminar o hábito de fumar é um grande desafio. Algumas pessoas só conseguem se livrar do cigarro com ajuda médica e psicológica.

O fumante precisa estar motivado e ter consciência que precisa, e quer eliminar o hábito. Portanto, o fator psicológico influencia muito na tomada de decisão e na continuidade do tratamento. Se exercitar diariamente também ajuda no combate ao fumo e na melhoria da qualidade de vida.

Existem duas formas de combater o vício. A parada pode ser de forma gradual ou repentina. A parada de forma gradual é diminuindo a quantidade de cigarros fumados ao dia. No entanto, esse método não é muito seguro ou indicado porque o fumante continua exposto diariamente a nicotina. Isso dificulta se libertar definitivamente do hábito.

Já a parada repentina, o ideal é definir uma data e não ter nenhum cigarro em casa.  Contar com a ajuda da família e dos amigos é imprescindível. Também não é ideal frequentar locais com circulação de outros fumantes para não ter uma recaída.

O tabagismo é um ponto negativo para casais que buscam a gravidez natural ou a reprodução assistida. Consulte um especialista, o médico poderá te ajudar a vencer esse hábito e aumentar as chances de gravidez!

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up