Agendar consulta

Ninguém saiu o mesmo do Diálogos com a Cegonha

Foto de Jordan Campos durante Diálogos com a Cegonha

O terapeuta transpessoal Jordan Campos respondeu perguntas sobre os desafios emocionais de quem enfrenta dificuldades para engravidar esta semana no Teatro Eva Herz de Salvador da Livraria Cultura. Foi uma velada muito agradável onde certamente todo mundo ouviu algo que serviu para sua trajetória pessoal. No IVI nos sentimos privilegiados por ter feito parte deste projeto.

Lidar com a culpa e a ansiedade foram alguns dos pontos abordados nesse evento que deixou um gostinho de quero mais. Para quem perdeu, queremos apresentar três pensamentos inspirados no encontro que valem muito a pena refletir, mas quem esteve no local conseguiu aproveitar muito mais! Por isso, fiquem atentos para os próximos eventos de Jordan Campos, ele é imperdível!

Pensamento positivo realmente ajuda? Acreditar que vai dar certo não pode acabar gerando uma decepção maior?

Certamente todos nós já nos perguntamos se não é melhor esperar o pior e assim não se decepcionar. E, no caso de quem está em tratamento de reprodução humana ou mesmo tentando a gestação natural, esta dúvida é constante.

Jordan nos explicou algo muito importante sobre o pensamento positivo. Não é apenas pensar positivo e ficar esperando, o pensamento positivo precisa ser acompanhado de atitude, e mais, precisamos que este estado positivo tenha o foco no presente e não no futuro. Por exemplo, não temos que pensar “quero engravidar” e sim começar a “sentir-se grávida”, realizando uma programação mental, que obviamente não irá curar uma condição física que precisa ser tratada, mas certamente ajudará muito para que os resultados do tratamento sejam melhores.

Estar em um estado positivo nos conduz ao equilíbrio, o que reduz a ansiedade e suas consequências físicas. Segundo o estudo publicado na revista científica Fertility and Sterility envolvendo especialistas do IVI (2016;105:548–59), a reação do corpo ao estresse interfere no aporte sanguíneo normal dos ovários e pode reduzir as chances de sucesso do tratamento. Jordan explicou que em um estado de alerta, inconscientemente estamos tentando combater um inimigo, que pode chegar a ser o próprio tratamento que está em curso.

Procurar um culpado ou sentir-se culpado. Como mudar esta atitude?

Primeiro tire o passado da cabeça! Este foi o conselho de Jordan Campos. Se você se arrepende de algo, isso significa que você é uma pessoa saudável, mas não é possível voltar no tempo e mesmo se fosse, provavelmente cada um de nós repetiríamos tudo que fizemos, pois estaríamos novamente diante da situação e com o entendimento que tínhamos no passado.

Quem sente culpa também acaba sentindo que é merecedor de castigo. O nosso cérebro segue nossas ordens, inclusive aquelas inconscientes de autopunição, portanto, livre-se da culpa ou de procurar culpados e coloque seu foco no que você é hoje e no que está fazendo atualmente para conseguir realizar seu sonho.

Não está tudo na mão do psicológico

É fundamental enfrentar os desafios emocionais e procurar ajuda, inclusive para aceitar e acreditar no tratamento, se for necessário tratar-se. As emoções estão integradas ao que somos e precisam muito da nossa atenção, mas também é preciso encontrar e solucionar os obstáculos físicos, pois eles não desaparecem apenas com uma melhor gestão das emoções.

Por último lembramos que quando o projeto de ter filhos é um projeto de família, é preciso que os envolvidos estejam unidos nesse propósito. Entender os medos e as necessidades mútuas dos parceiros e também fixar os limites só é possível se existir diálogo.

Queremos agradecer a Jordan Campos e a todas as pessoas que estiveram presentes no Diálogos com a Cegonha, oferecido por IVI Salvador e idealizado pela Dra. Genevieve Coelho, diretora da clínica.

Compartilhar Facebook Twitter Google +