junho 21, 2020

Ser mãe independente, uma opção de família

Comitê Editorial IVI Salvador

Tudo começa com a realização de um sonho: ser mãe. Nos tempos atuais, a mulher pode ser mãe independente sem necessariamente ter um parceiro.  Novas opções de família foram surgindo e desmistificando a ideia de homem, mulher e filhos como era antigamente, no tempo de nossos avós.

O mundo moderno trouxe tantas possibilidades a todos nós, que realizar nossos anseios se torna cada dia mais imperativo para sermos felizes. E a lógica fica ainda mais forte diante do cenário de mulheres modernas e cheias de poder. Para onde quer que olhemos, vemos essas mulheres em posições de destaque. Grandes empresárias, cientistas brilhantes, executivas de primeira linha, artistas de referência e, claro, excelentes mães.

Sim, porque a tecnologia e a modernidade trouxeram à mulher atual, a possibilidade de ser exatamente aquilo que ela quer ser. Inclusive, mãe independente. E por diversos fatores. Desde o fato de ainda não ter encontrado sua alma gêmea, até mesmo a opção de seguir com uma nova configuração de família, sendo apenas mãe e filho (a) para sempre.

Se no passado, o ato era pejorativamente conhecido como “produção independente”, hoje ser mãe “sozinha” por opção, se tornou uma arma dessas mulheres que sabem o que querem e estão fazendo a diferença no nosso mundo.

Como ser mãe independente sem um parceiro?

Nesse caso, do sonho da maternidade, a medicina avançada já consegue atuar sem a necessidade de que a mulher tenha um parceiro do sexo masculino para seguir com o seu projeto. São inúmeras as possibilidades dentro da medicina reprodutiva. As principais, no entanto, são a inseminação artificial e/ ou a Fertilização In Vitro (FIV) usando um banco de sêmen.

Para essas alternativas, os especialistas em reprodução humana assistida buscam em bancos de sêmen, características genéticas que sejam complementares às da mãe, para que o resultado seja uma criança que tenha traços físicos e características semelhantes.

Um alerta dos especialistas, tanto para as mulheres que buscam ser mãe independente, quanto para todas as demais, é ficar de olho no relógio. A idade é uma grande barreira para a maternidade, porque a quantidade e a qualidade de óvulos vão sendo reduzida com o passar do tempo. Ano após ano.

Congelamento de óvulos para ser mãe independente no futuro

Se chegar aos 35 anos na dúvida sobre quando realizar esse sonho, os médicos recomendam o congelamento de óvulos. Os estudos já mostram que a partir dessa faixa etária, a redução de óvulos é maximizada e os riscos a partir daí, para a mulher, podem ser irreversíveis se ela não preservar a fertilidade.

Se levarmos em consideração que muitas mulheres estão em franco crescimento no mercado de trabalho, lutando por suas independências financeiras e pessoais; e estão tocando projetos diversos de vida – e consequentemente tendo filhos cada vez mais tarde, o alerta dos médicos sobre o congelamento de óvulos ganha ainda mais importância.

O procedimento para o congelamento de óvulos é simples, realizado na clínica IVI Salvador sem necessidade de internação hospitalar e com rápido retorno às atividades rotineiras. É uma maneira de se antecipar e precaver problemas no futuro.

As taxas de sucesso de tratamentos de reprodução humana

Com a medicina em constante evolução, alcançar a tão sonhada maternidade tem sido cada dia mais fácil, inclusive para as mulheres que buscam ser mães independentes. No IVI Salvador, por exemplo, levantamentos mostram que as taxas de sucesso de procedimentos cresce ano após ano.

No estudo mais recente, com dados do período entre 2018 e 2019, a eficácia nos procedimentos utilizando óvulos próprios foi de 40,29% no primeiro tratamento, 58,2% no segundo e 69,73% no terceiro.

Isso sem falar na segurança que os procedimentos oferecem. No laboratório de fertilização in vitro da clínica IVI Salvador, o protocolo de dupla checagem de materiais assegura que seja nula a possibilidade de erros durante qualquer etapa do processo. Além disso, o laboratório segue os mesmos padrões utilizados nas clínicas da Espanha.

Os desafios de ser mãe independente

Após o nascimento do bebê, talvez o maior desafio de uma mãe independente seja conciliar a vida profissional, social e familiar. Dar conta das tarefas sem o apoio de um companheiro ou companheira não é uma missão fácil. Mas nada nunca apareceu de bandeja na vida, não é mesmo?! Com amor e união familiar, com certeza as dificuldades vão sendo enfrentadas.

Claro que voltar à rotina de trabalho pode ser um pesadelo. Muitas vezes a sensação de deixar o bebê enquanto parte para o escritório ou para reuniões de trabalho, pode ser algo angustiante. Mesmo sabendo que ele está em casa, com familiares ou a babá.

Além disso, a quantidade extra de coisas para fazer, tarefas extras que se somam às habituais (cozinhar, lavar roupas, limpar a casa, etc.), pode ser um choque em um primeiro momento. Organizar o dia para conseguir realizar todos os objetivos e ainda fazer sobrar tempo para estar com o filho pode ser algo estressante. Mas certamente recompensador ao colocar no colo aquele fruto de tanto amor, de tanto sonho.

E quando se realiza um sonho, qualquer dificuldade pelo trajeto perde contornos e fica simples de ser resolvida. A maternidade independente tem sido o caminho da felicidade e realização para muitas mulheres. Para muitas delas, após essa realização, se alcança a plenitude. O que vemos na maioria, é que depois da chegada do bebê, parece que essas mulheres se tornam ainda mais fortes para a vida!

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up