maio 26, 2021

Duas Mães: maternidade em casal de mulheres é cada vez mais comum

Comitê Editorial IVI Salvador

Quando se fala em modelo de família, sabemos que são inúmeras as possibilidades. E, uma das mais comuns atualmente é aquela formada por duas mães. Isso já é muito comum tanto no Brasil quanto em outros países. No Brasil, o número cresceu muito desde 2013, quando foi reconhecido legalmente o casamento homoafetivo.

E o mundo tem avançado em diversos aspectos. Na ciência, já é possível que duas mulheres que formam um casal possam até mesmo serem mães conjuntamente (através do método ROPA). O mais importante é que exista amor, a base de tudo em uma família! Mas o avanço da ciência não se compara ao que estamos experimentando em termos de evolução da nossa sociedade.

O preconceito está diminuindo dia após dia. E esse novo projeto de família, mais diverso, múltiplo e inclusivo, está modificando os padrões da sociedade e quebrando tabus. Trazendo à tona a luta encampada durante tantas décadas por pessoas que sempre quiseram viver com felicidade e respeito.

Aos poucos, e a passos largos, a tensão que ficou num passado distante, dá lugar ao sorriso no rosto. Dessas crianças, que chegam para fazer brilhar ainda mais as vidas dessas novas famílias! E dessas duas mães, que têm não apenas o sonho realizado, como passam a educar e formar cidadãos ainda mais conscientes.

Duas mães: carinho e cuidado em dobro

Esse mundo moderno, que nos trouxe tantas possibilidades, traz para essas duas mães, um grande desafio para educar. Isso porque a mulher moderna, empoderada, que realiza seus sonhos e investe em sua carreira, tem sempre o tempo muito corrido. São múltiplas responsabilidades adquiridas e ainda o desafio de educar.

Mas vem daí a vantagem dessa nova família. Com duas mães, nunca faltará aquele tempinho para um carinho, um ensinamento e aquela presença constante. As mulheres comprovadamente conseguem se organizar melhor, sabem dividir o tempo e saberão como ninguém, como educar, guiar, acompanhar e cuidar do bebê.

Mãe em dobro, cuidado em dobro! Nessa nova família e a dose extra de amor, tudo é possível. Essas duas mães que já conquistaram tanto, que já estão plenas pela realização do sonho da maternidade, conseguirão avançar mais e mais em busca de seus ideais.

E com certeza essa criança levará para a vida o carinho dessa criação. Será um ser mais humano, mais empático e cheio de amor no coração.

Como a ciência pode ajudar o casal e tornar duas mães

Como dissemos no início, a tecnologia e a modernidade trouxeram à mulher atual, a possibilidade de ser exatamente aquilo que ela deseja ser. Inclusive, no caso de casais formados por duas mulheres, serem duas mães. Para isso, existe uma técnica bastante utilizada nas clínicas de reprodução assistida, batizada de “Método ROPA”.

A sigla significa a expressão em inglês “Reception of Oocytes from Partner”. Traduzido para o português, quer dizer “Recepção de Óvulos da Parceira” ou “Maternidade Compartilhada”. A técnica permite a participação das duas mulheres que formam o casal, na obtenção da gravidez.

Como se realiza?

O Método ROPA tem como principal característica o tratamento de fertilização in vitro (FIV) compartilhado entre as duas mulheres. Uma das mulheres vai fornecer os óvulos, que são colhidos por punção ovariana. Esses óvulos serão fertilizados com o sêmen de um doador e essa será a mãe genética.

Realiza-se o tratamento de forma sincronizada. As duas menstruações, tanto da mulher que doará os óvulos, como da que receberá os embriões, precisam coincidir. Normalmente se recorre ao uso de medicamentos para equilibrar e alinhar esses períodos.

Depois, a outra mulher recebe os melhores embriões, que serão transferidos para o seu útero. Ela irá engravidar, e levará adiante a gravidez até o parto. Dessa forma, as duas mulheres participam ativamente do processo de gravidez que trará o filho ao mundo.

“Tem aumentado bastante o número de casais homoafetivos formados por duas mulheres, que nos procuram na busca de realizar esse sonho da maternidade. A técnica mais atual, a do Método ROPA, é tranquila, relativamente rápida para se realizar e os resultados são muito animadores. Claro que primeiro essas mulheres precisam passar por uma série de exames, que irão avaliar suas condições atuais e se há algum tipo de infertilidade em alguma delas”, explica o ginecologista do IVI Salvador, Dr. Agnaldo Viana.

O Método ROPA é uma das técnicas utilizadas pela equipe do IVI Salvador para casais formados por duas mulheres, que buscam aumentar a família através da maternidade compartilhada. Para saber mais, basta agendar uma consulta com um dos nossos especialistas.

Seja com a ajuda da ciência ou não, o que mais importa é que essa família atual se desenvolva forte, feliz, saudável e que os sonhos nunca deixem de fazer parte de seus entes.

Adoção é sempre uma linda alternativa

Quando se fala em família, transborda o conceito de amor, afeto, cuidado, coletivo. Independente da formação, a família é o porto seguro para aqueles que fazem parte dela. É assim para o bebê que chega e se sente protegido.

Mas precisamos sempre pensar que algumas crianças que infelizmente não puderam ser acolhidas pelas suas famílias biológicas estão carentes de todo esse amor. Quando a ciência não pode de algum modo te ajudar, se você detectar uma infertilidade definitiva, se não houver a chance tão esperada, a adoção será um caminho incrível para ambas as partes.

Até mesmo para aqueles casais que já realizaram tratamentos de reprodução assistida, conseguiram ter seus bebês; ou aquelas duas mães que geraram através do Método ROPA. A adoção é um ato nobre, de amor, de doação, de entrega. Atualmente é possível se inscrever em programas de adoção através de juizados e órgãos responsáveis, em todos os estados.

Ao adotar, você fortalece o sentido da família. Agrega, dá uma nova chance a alguém que, como você, busca o sonho do amor de família.

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up