agosto 29, 2017

Hidrossalpinge e fertilidade

Mulher portadora de hidrossalpinge sorrindo

A hidrossalpinge é uma condição onde as Trompas de Falópio estão bloqueadas pela presença de um líquido. Esta patologia surge como consequência de uma infecção nas trompas que pode ter sido provocada por diferentes razões, uma delas e a mais comum é a Clamídia, uma doença sexualmente transmissível que normalmente não produz sintomas, mas pode levar a uma doença inflamatória pélvica.

Como a hidrossalpinge afeta as Trompas de Falópio?

Antes de falar de hidrossalpinge é importante entender as Trompas de Falópio e como elas funcionam. As Trompas de Falópio são os dois canais responsáveis pela comunicação entre os ovários e útero. A cada ciclo, as trompas coletam os óvulos liberados pelos ovários e se responsabilizam por ser o canal de passagem do óvulo até o útero. É em uma das trompas que o espermatozoide irá encontrar o óvulo e realizar a fecundação.

As Trompas de Falópio são constituídas por um tecido muito fino e delicado que incha quando afetado por uma infecção que não é tratada adequadamente ou não é identificada devido à ausência de sintomas (como é o caso da clamídia). O inchaço é provocado pela presença de um líquido, que normalmente foi acumulado pela inflamação. Após atingir certo estágio, dificilmente as trompas conseguem retornar ao seu estágio inicial sadio, mesmo quando existe a hidrossalpinge, mas a infecção já não esta presente.

A dilatação e acúmulo de líquido que caracteriza a hidrossalpinge provoca a obstrução da trompa, o que impede o encontro entre o óvulo e espermatozoide. Por isso, portadoras de hidrossalpinge têm um alto risco de infertilidade.

  • Endometriose pode causar hidrossalpinge?

Sim, a endometriose pode ser uma possível causa da hidrossalpinge. A endometriose é a presença do endométrio (tecido que reveste o útero por dentro) fora do seu local de origem. Este tecido provoca inflamações influenciadas pelos ciclos hormonais da mulher, que se presente na trompa, irá provocar sua dilatação.

  • Posso engravidar se tenho hidrossalpinge?

Se a hidrossalpinge tiver afetado somente uma das trompas e a outra trompa encontra-se permeável e desobstruída existem chances de engravidar. No entanto, o líquido acumulado pela hidrossalpinge e expelido ao longo dos ciclos, passa pelo útero pode acabar expulsando um embrião que esteja tentando se fixar. Nestes casos, existem opções para engravidar, mas estas exigem um tratamento de reprodução humana assistida.

É preciso estudar cada caso de hidrossalpinge de forma personalizada, pois em determinados casos as chances de gravidez dependem da retirada das trompas, para evitar que o líquido expelido impeça a implantação do embrião. Este risco existe não apenas nos casos de gravidez natural, mas também está presente quando realizado o tratamento de Fertilização in vitro (FIV), onde a fecundação do óvulo é feita no laboratório de embriologia e transferido ao útero materno onde deverá fixar-se para que a gravidez seja possível.

  • Com é feito o diagnóstico da hidrossalpinge?

Os primeiros sinais da hidrossalpinge podem ser detectados através da ultrassonografia e histórico da paciente, como por exemplo a presença de constante de um corrimento similar aos últimos dias de menstruação ou um caso anterior de gravidez ectópica. Com a suspeita, será indicado a realização de um exame para constatar a permeabilidade e estado das trompas como a videolaparoscopia.

Ouça a explicação do Dr. Agnaldo Viana, ginecologista especialista em reprodução humana da clínica IVI Salvador, sobre a hidrossalpinge e indicações de tratamento:

Solicite a sua primeira consulta:

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up