junho 18, 2021

Como prevenir azia durante a gravidez

Azia na gravidez

Comitê Editorial IVI Salvador

Azia é uma sensação de queimação que percorre desde a garganta até o estômago. Acompanhada de um intenso mal estar que dificulta muito a alimentação. Tudo isso são sintomas da azia (ou pirose). O problema é bastante comum e não escolhe sexo nem idade. A azia pode se tornar ainda mais comum na gravidez.

Infelizmente, a azia na gravidez é um problema que muitas mulheres acabam enfrentando. Mesmo aquelas que nunca sofreram com isso antes de engravidar. E o problema, geralmente, pode acontecer no início, ou no final da gestação.

A azia na gravidez ocorre por conta das mudanças que são causadas pela própria gestação no organismo da mulher. A boa notícia é que, com alguns cuidados simples e mudanças de hábitos, é possível prevenir e combater esse incômodo.

O que provoca a azia?

Assim como outros desconfortos da gravidez, as causas da azia estão relacionadas às mudanças hormonais. Além disso, as alterações que acontecem no corpo da gestante, enquanto o bebê estiver crescendo e se desenvolvendo dentro dela, também aumentam as chances dessa grávida ter azia.

Com o aumento do volume do útero, acaba acontecendo deslocamentos e compressão de outros órgãos. E isso, quando associado ao relaxamento do esfíncter esofágico provoca um refluxo do conteúdo estomacal para o esôfago, provocando a azia.

Infelizmente esse quadro tende a piorar um pouco com o avançar dos meses da gravidez. Quanto mais a criança vai crescendo, maior será a pressão que ela exerce no aparelho digestivo da mãe.

Como o corpo da gestante reage?

O aumento do volume no útero aumenta a pressão dentro da barriga, comprimindo o estômago e o intestino. O que acaba elevando o músculo do diafragma, e retardando a digestão. Consequentemente reduz a capacidade estomacal de manter os ácidos em seu interior, e favorece o refluxo gastresofágico e a consequente queimação.

Em paralelo a tudo isso, as alterações hormonais da gravidez provocam o relaxamento da válvula que controla a passagem de alimentos entre o esôfago e o estômago. O resultado é um aumento do refluxo do conteúdo estomacal para o esôfago, resultando na tão indesejada azia.

Assim, com essa falha de controle, os ácidos estomacais acabam subindo para a garganta, provocando a sensação de queimação e amargor na boca. O relaxamento da musculatura estomacal também deixa a digestão mais lenta, favorecendo o mal-estar e os enjoos.

Como evitar a azia na gravidez

A azia aparece normalmente no segundo e no terceiro trimestres da gestação. Porém, algumas gestantes podem ter o problema já no início da gravidez, junto com as náuseas e enjoos do primeiro trimestre. É um sintoma que vai e volta ao longo da gravidez, e que só se resolve após o parto.

Mas existem maneiras de aliviar, ou evitar os sintomas da azia. Para evitar a queimação, a principal dica é comer menos, com mais frequência. É recomendável também mastigar muito bem os alimentos, evitar misturar líquido enquanto come, e evitar deitar após as refeições. A digestão de uma gestante é mais lenta.

O que consumir?

Consumir bastante água, mas sempre evitando beber junto com o consumo de alimentos. Evite a cafeína! Ela estimula a movimentação gástrica, favorecendo a liberação de suco gástrico e a movimentação do estômago, o que pode desencadear a sensação de queimação da azia, especialmente quando o estômago está vazio.

Evite alimentos muito condimentados (pimenta, mostarda e temperos em industrializados). Fuja também de frituras, alimentos gordurosos e doces pois podem causar irritação e inflamação no estômago, piorando os sintomas da azia. Prefira sempre alimentos frescos e integrais. Comidas cruas, refrigerantes e bebidas alcoólicas ficam proibidas.

Uma boa dica é acrescentar banana na sua alimentação. Além de ajudar na diminuição dos enjoos, ela é rica em carboidratos, contém vitamina B6, que auxilia na formação do feto. Optar por refeições leves à noite ajuda a prevenir a azia. Sopas são leves, nutritivas, saborosas e alimentam.

Procure não usar roupas justas na região do abdômen, e deitar apenas após duas horas após cada refeição. Uma caminhada leve sempre ajuda na digestão, e é excelente para a circulação sanguínea. Se durante a noite a azia for muito intensa, é recomendado deitar com a parte superior do corpo mais levantada, reduzindo o refluxo de líquido do estômago e a azia.

Outras dicas para evitar a azia

Faça shiatsu! O shiatsu é uma terapia japonesa que usa o toque para equilibrar as energias, promovendo a harmonia entre o corpo e a mente. Ele pode ser um grande aliado ajudando a melhorar a digestão e o trânsito intestinal e reduzindo a azia, enjoos e prisão de ventre (sintomas comuns na gravidez). Procure sempre um terapeuta especializado, pois alguns pontos do corpo da grávida não devem ser pressionados.

Apesar do grande desconforto, a azia na gravidez é um sintoma sem gravidade ou risco para a saúde do bebê ou da mãe. Ela pode ser  um problema quando impede a gestante de ter uma alimentação adequada, por conta dos sintomas, o que pode causar perda de peso para a gestante.

Mas se ainda, mesmo adotando todos os cuidados, a azia persistir é comum buscar medidas caseiras. Comer uma maçã com casca, uma bolacha de água e sal ou um pedaço de pão, são artifícios que podem ajudar.

Porém, receitas caseiras só com indicação médica. Assim como todo e qualquer medicamento deve ser evitado durante a gravidez. A gestante nunca deve se automedicar. Se sua azia for muito forte, fale com seu obstetra! Somente ele poderá indicar um remédio que seja seguro para a sua saúde e a do bebê.

Quando se preocupar com a azia 

Como já foi dito, por si só, a azia não traz riscos. Porém, vale atentar a alguns sinais de alerta. Se a azia vier acompanhada de dor intensa, pode ser sinal de gastrite, úlcera ou algum problema digestivo não relacionado à gravidez. Dor abaixo das costelas pode ser sinal de pré eclampsia.

O incômodo da azia é sempre no estômago! A dor pode passar pelo peito até chegar à garganta. Se a dor for no lado direito e no alto da barriga, especialmente se vier com enjoo, pode indicar um problema no fígado – que acomete as gestantes.

Sempre que a azia vier acompanhada de outros sintomas, o mais indicado é conversar com o seu médico, e assim descartar problemas mais preocupantes. “Embora seja bastante incômodo, existem tratamentos e protocolos para manter o controle da azia durante a gravidez. É bastante comum que as mulheres gestantes sintam o problema, afinal o corpo está em transformação, com mudanças hormonais e o crescimento do feto”, explica a médica do IVI Salvador, Dra. Andreia Garcia.

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up