novembro 11, 2021

Câncer de próstata e o Novembro Azul

Comitê Editorial IVI Salvador

O câncer de próstata é um dos que mais atinge os homens no Brasil. O Instituto Nacional de Câncer (INCA), estima que cerca de 65 mil novos casos da doença sejam detectados apenas em 2021. Considerando o triênio 2020-2022, são quase 200 mil novos casos.

O problema ocorre principalmente em homens mais velhos. Seis em cada 10 casos são diagnosticados em homens com mais de 65 anos, sendo raro – mas não impossível, ocorrer antes dos 40 anos.

Os números tão expressivos sustentam a necessidade de um mês para conscientizar toda a população sobre os cuidados e tratamento do câncer de próstata. Se diagnosticado de forma precoce, as chances de sucesso no tratamento são superiores a 90%.

Câncer de Próstata e a fertilidade

Receber a notícia sobre estar com um câncer, qualquer que seja ele, não é fácil de processar. Os homens costumam – historicamente – frequentar menos médicos e alguns até têm medo. Mas ao entender a gravidade do problema, a maior parte deles pensa de imediato em se livrar da doença.

O que muitos desses homens não ponderam são as consequências do tratamento para outras pontos, como a fertilidade. Tratamentos contra o câncer de próstata podem envolver quimioterapia e radioterapia, que podem causar infertilidade.

“No susto que é receber esse diagnóstico, esses homens buscam logo resolver o problema. O que se precisa é ponderar que o tratamento não pode ocasionar outros problemas para o homem. Existem hoje técnicas que permitem a preservação da fertilidade, por exemplo. Assim, esse paciente consegue enfrentar a luta contra o câncer de próstata contando com o amparo da medicina reprodutiva, e que quando finalizar o tratamento poderá gerar filhos”, explica Dr. Agnaldo Viana, médico do IVI Salvador.

Dr. Agnaldo se refere à possibilidade de congelamento do sêmen assim que o câncer é identificado. Assim, mesmo os homens que enfrentam essa batalha, podem vir a ser pais após vencer a doença. Para tanto, usa-se as técnicas de reprodução assistida utilizando o sêmen congelado.

O congelamento do sêmen

O congelamento do sêmen deve ser feito antes de iniciar o tratamento contra a doença. A coleta se realiza através da masturbação. São coletadas várias amostras que seguem para a criopreservação, que nada mais é do que a técnica de congelamento.

Se por alguma razão, o homem não conseguir ejacular, pode-se retirar os espermatozoides diretamente dos testículos, através da biópsia testicular.

O sêmen é congelado a uma temperatura de -196°C e pode ser armazenado por tempo indeterminado. Além disso, é recomendado que se espere de seis a doze meses para a sua utilização. Essa recomendação se dá, pois nesse período a fertilidade do homem que se tratou pode voltar ao normal.

Depois disso, quando o casal decidir ter filhos, será feita uma inseminação artificial na mulher, ou uma Fertilização in Vitro (FIV), dependendo do caso.

“Preservar a fertilidade é um passo simples e que permite ao paciente a liberdade futura de escolher ser pai ou não”, complementa Dr. Agnaldo.

Como identificar o câncer de próstata

O câncer de próstata, na fase inicial, não costuma apresentar sintomas. O exame físico (do toque) ainda gera muita polêmica, mas é a forma mais efetiva de identificar.

O exame não dura mais do que 10 segundos. O médico analisa a consistência da próstata, o tamanho e se existem lesões palpáveis através do reto na glândula. O exame de toque, junto com o PSA, ajuda a detectar precocemente casos de câncer de próstata.

O PSA (antígeno prostático específico) é uma substância que pode ser encontrada no tecido da próstata, sêmen e corrente sanguínea. Um resultado normal no PSA, isoladamente, não exclui a possibilidade de haver um tumor maligno.

Por isso, a necessidade do toque retal. Os dois exames devem ser feitos anualmente. É fundamental que os homens entendam que a saúde vem em primeiro lugar.

É de suma importância ficar atento à condição porque, na fase inicial, não costuma apresentar sintomas. Os sintomas só aparecem já nos estágios mais avançados e aí o tratamento pode já não ser tão eficaz.

Dores nas costas, pernas e no quadril podem surgir por conta da disseminação da doença para os ossos, por exemplo.

Como se desenvolve o câncer de próstata

Quando o câncer de próstata apresenta sintomas, os mais comuns são a dificuldade de urinar, demora em começar e terminar de urinar e sangue na urina. A diminuição do jato de urina e a necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite também podem ser indicativos.

Pesquisas apontam o envelhecimento como o principal fator de risco. Uma dieta com um alto teor de gordura animal também pode estar associada à doença. Assim como a obesidade e o sedentarismo.

“Como se trata de uma doença silenciosa, contar com o bom senso do homem, em realizar suas revisões e exames anuais é um fator de suma importância para que – em caso positivo – se identifique o mais cedo possível a existência desse câncer de próstata”, explica o médico.

Como surgiu o Novembro Azul

O movimento do Novembro Azul surgiu no ano de 2003, na Austrália. Inicialmente, ele resultou de um ato chamado de Movember (união das palavras Moustache – bigode e November – novembro). Durante o mês, os homens deixavam o bigode crescer com o objetivo de chamar a atenção para sua saúde. Isso incluía fazer um alerta público sobre o câncer de próstata.

Isso ganhou força, se expandiu para todo o mundo e, em 2011, influenciou na criação do “Novembro Azul”. A campanha criada pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, visa promover ações para elucidar dúvidas sobre a doença.

O câncer de próstata é o sexto tipo mais comum no mundo. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de próstata é o segundo mais comum em homens. Além disso, é a segunda principal causa de morte por câncer em homens, seguido apenas pelo câncer de pulmão.

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up