setembro 19, 2017

Chances de gravidez complicam após 3 anos

casal consultando um especialista em reprodução humana sobre suas chances de gravidez

Segundo a Rede Latino-Americana de Reprodução Assistida, após três anos tentando engravidar, as chances de alcançarem este objetivo reduzem muito. Nestas situações, os tratamentos de reprodução humana costumam ser mais complexos do que poderiam ter sido diante de um diagnóstico precoce.

A recomendação médica é procurar um especialista em fertilidade após um ano de tentativas nos casos de mulheres até 35 anos ou, seis meses, para mulheres acima dos 35 para evitar a redução exponencial das chances de gravidez.

Definição de infertilidade

A infertilidade se caracteriza quando um casal não consegue engravidar após o período de um ano de tentativas, porque este período soma uma probabilidade acumulada de gravidez de 90%. Portanto, independentemente da razão, é o período de tempo o que caracteriza o termo “infertilidade”. Por isso, como em tudo na vida, mas especialmente quando se trata de saúde, quanto antes um problema é identificado, mais fácil é a sua solução.

Um ginecologista pode identificar por que não consigo engravidar?

Dependendo da causa, um ginecologista pode ajudar a identificar e solucionar os obstáculos que te separam da gravidez, porém o ginecologista comum não consegue ter uma visão completa do cenário por duas razões:

– Os especialistas em reprodução humana possuem uma formação mais específica e avançada, onde adquirem conhecimentos sobre a fertilidade que os ginecologistas sem especialização não possuem.

– A fertilidade exige o estudo do casal, razão pela qual o ginecologista, que está especializado somente na saúde da mulher, não está apto para avaliar por completo.

O tratamento da infertilidade deve ser dado por uma equipe multidisciplinar coordenada pelo especialista em reprodução humana, pois especialistas como geneticistas, nutricionistas, psicólogos, urologistas, imunologistas, entre outros, frequentemente são envolvidos no tratamento.

No entanto, no período de prevenção, o ginecologista é o médico ideal para consultar periodicamente para detectar os primeiros sinais de infertilidade e receber orientações básicas para o planejamento familiar. Também será através de uma consulta com o ginecologista que a mulher receberá a recomendação dos suplementos de ácido fólico e de atualizações de vacinas para garantir uma gravidez mais segura.

Grupo de risco de infertilidade

Hoje em dia uma parte importante dos pacientes que realizam tratamento nas clínicas de reprodução humana não faziam parte do grupo de risco da infertilidade. O perfil atual de pacientes são pessoas que enfrentam dificuldades para engravidar naturalmente pela redução natural da fertilidade humana. No entanto, existe um grupo de risco para a infertilidade, este grupo possui chances de gravidez mais reduzidas que a média da população geral:

  • Fumantes
  • Portadoras de endometriose
  • Portadoras da síndrome dos ovários policísticos
  • Portadores de varicocele
  • Obesidade masculina e ou feminina
  • Pessoas com casos de infertilidade na família
  • Mulheres com casos de menopausa precoce na família
  • Pacientes oncológicos devido aos efeitos tóxicos da quimioterapia e radioterapia. Nestes casos é importante estudar a possibilidade de congelar óvulos ou espermatozoides ou fazer uso de outro método de preservação da fertilidade.

É importante que as pessoas que pertencem ao grupo de risco de infertilidade mantenham uma avaliação periódica de sua fertilidade com um especialista em reprodução humana e que não adiem muito os planos de gravidez.

É possível prevenir problemas de fertilidade e aumentar as chances de gravidez

Tem sido cada vez mais frequente que as mulheres a partir dos 30 anos realizem avaliações periódicas da fertilidade, aproveitando a visita anual ao ginecologista. Esta avaliação pode ser realizada com ou sem pausa no uso dos anticoncepcionais. No primeiro caso, é feito o estudo do FSH e a contagem de folículos antrais, e no segundo, se realiza o estudo do hormônio anti-Mülleriano.

Conhecendo o estado atual da fertilidade, as mulheres podem tomar uma decisão mais assertiva sobre quando engravidar ou se vale a pena fazer o congelamento de óvulos para conservar suas chances para o futuro.

 

 

Solicite a sua primeira consulta:

1 comentário

  • Omcldc says:

    Olá, eu fiz a transferência de embrião dia 4 e hj dia 9 eu senti o q sinto quando tá perto da menstruação chegar, dor de barriga leve … o intestino fica mais “solto” seria pq nao deu certo ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up