outubro 10, 2019

Infertilidade masculina

A partir do momento que um casal decide conceber um filho, uma série de fatores pode influenciar na decisão. Diversas são as causas que podem dificultar a realização desse sonho. Perceber esses entraves é fundamental. Um exemplo é quando a tentativa dura mais de um ano, sem o uso de nenhum método contraceptivo, sem sucesso, pode ser infertilidade masculina. Quando após muitas tentativas, a visita da cegonha não chega, é hora de consultar um especialista e descobrir o problema.

Por muito tempo, acreditou-se que a dificuldade para engravidar era relacionada apenas à mulher. Mas nos dias de hoje sabe-se que esse problema também pode ser do homem. Por esse motivo, quando há um quadro de infertilidade, o casal deve ser encaminhado para uma avaliação.

Para descobrir se o homem tem problema de fertilidade, é realizada, no IVI Salvador, avaliação clínica e exames. Além disso, é solicitado um espermograma. O exame analisa o sêmen e identifica algumas características dos espermatozoides, como sua mobilidade e vitalidade.

Infertilidade é diferente de esterilidade

“É preciso entender também que infertilidade e esterilidade são duas coisas distintas. No caso da esterilidade, ela só é confirmada quando o casal passou por análises, muitas vezes tratamentos de reprodução assistida, e não alcançaram o sonho de se tornar pais”, explica a Diretora Médica do IVI Salvador, Dra Genevieve Coelho.

Ou seja, a infertilidade se refere a uma dificuldade de levar a gravidez a acontecer. Já no caso de uma impossibilidade imutável de concepção, considera-se esterilidade. Também não existe culpa quando se trata de infertilidade. Estudos revelam que algumas condições podem afetar ambos os sexos.

Alguns fatores já foram identificados como vilões que podem deixar um homem infértil. Mas o sexo masculino também deve ficar atento a fatores externos, sem ignorar as alterações em seu próprio corpo. Apesar dos inimigos serem muitos, a maioria deles pode ser prevenido.

Estilo de vida conspira contra a fertilidade masculina

Uma vida sedentária e sem a preocupação com a alimentação é algo que vem aumentando consideravelmente no mundo. E esse mal, além de trazer diversas complicações para a saúde, também pode afetar a fertilidade masculina. A cintura saliente faz aumentar a temperatura dos testículos, prejudicando assim a qualidade do sêmen.

Além de praticar regularmente atividades físicas, adotar uma alimentação saudável, rica em frutas e verduras, é uma das primeiras atitudes. Alimentos como brócolis, repolho, tomate, queijo e laranja, ajudam no combate aos radicais livres e contêm substâncias antioxidantes. Uma alimentação desregrada pode ser fator para tornar mais distante o sonho de formar uma família.

Uma cerveja ou taça de vinho de vez em quando não faz mal a ninguém. Por outro lado, exagerar no consumo de álcool representa um risco. O hábito está relacionado a baixos níveis de testosterona, baixas contagens de esperma e menor quantidade de espermatozoides saudáveis.

DSTs e idade também causam infertilidade

As doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) também podem impedir o sonho da gravidez. Problemas como a clamídia e a gonorreia – doenças bacterianas – podem desencadear uma inflamação nos testículos e no epidídimo. Com isso, travam a passagem dos espermatozoides.

Há alguns anos, acreditava-se que os homens conseguiam manter intacta a sua capacidade de gerar descendentes durante toda a vida. Mas, estudos já mostram que com o avançar da idade, o homem vai perdendo a sua capacidade de produzir espermatozoides. Essa capacidade cai muito a partir dos 50 anos. E não apenas a quantidade reduz, mas também a qualidade do material.

Outras possíveis causas

Acidentes na região peniana (traumas) também podem afetar a fertilidade do homem. Quem já levou uma bolada na região dos genitais sabe que a dor é intensa e demora a passar. Mas os médicos explicam que traumas leves pouco interferem na fertilidade do homem, e na linha de produção dos gametas.

Mas se a colisão for muito intensa, existe o risco de ocorrer ruptura nos tecidos que recobrem os testículos. Em casos como esses, se o inchaço não passar logo e tampouco a dor, vale procurar ajuda médica com brevidade.

Homens que fazem o uso de anabolizantes também podem ter a sua fertilidade comprometida. Substâncias à base de testosterona, usadas por quem quer ganhar músculos ou aumentar virilidade podem ter consequências negativas. “O indivíduo pode sofrer uma redução no número de espermatozoides, ou até mesmo zerar a produção e ficar estéril”, alerta a Dra. Genevieve Coelho, especialista em reprodução humana.

Varicoceles

Outra grande vilã da fertilidade masculina são as varizes. O conjunto de varizes que pode se formar no saco escrotal, que costuma aparecer na adolescência é denominado varicocele. Ela pode causar defeito em válvulas que deveriam drenar o sangue acarretando aumento no calibre de algumas veias na região.

O líquido vermelho fica preso, elevando a temperatura da bolsa que guarda os testículos. O calor excessivo, além de outras eventuais alterações, pode interferir na produção dos espermatozoides. Para corrigir, recorre-se a uma cirurgia relativamente simples. O importante é detectar o problema o mais cedo possível.

Guardar o celular no bolso pode também não ser uma boa ideia para o homem que está tentando se tornar pai. Isso porque a exposição do sêmen à radiação emitida pelo telefone pode “machucar” a maneira como o esperma se move e reduzir a quantidade de espermatozoides. O calor do celular pode elevar a temperatura do escroto e prejudicar a produção de esperma.

Ausência de espermatozoides

Outro problema que pode ser verificado é a ausência de espermatozoides, uma condição chamada azoospermia. Ocorre quando o sêmen não apresenta nenhum espermatozoide. Isso pode acontecer normalmente por duas razões. A primeira por obstrução, quando os testículos criaram as células sexuais, mas elas não chegam ao seu destino. A vasectomia (cirurgia de esterilização que fecha os tubos que levam o líquido dos testículos até o pênis) bloqueia justamente esse caminho. Um procedimento de desobstrução costuma reverter o quadro.

A segunda razão é fruto de defeitos em algumas etapas da fabricação  das células reprodutivas. Pode ser resultado de síndrome genética ou decorrente de radioterapia, no caso do tratamento de câncer, por exemplo. O tratamento é mais complexo e varia de acordo com cada caso.

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up