fevereiro 4, 2020

Tratar o câncer está mais viável e já não interfere no sonho da maternidade

Comitê Editorial IVI Salvador

Considerada por muitos a “doença do século”, o câncer alcança números alarmantes em todo o mundo. A Organização Mundial da Saúde estima que até 2030, serão 27 milhões de casos incidentes de câncer em todo o planeta; 17 milhões de mortes ocasionadas pela doença e outras 75 milhões de pessoas vivas, tratando o problema. A dimensão alcançada foi tamanha, que algumas entidades se organizaram para mobilizar a sociedade. A União Internacional Contra o Câncer (UICC) lançou o Dia Mundial de Combate ao Câncer,  o dia 4 de fevereiro. Nessa data, por todo o mundo, ações são realizadas no sentido de esclarecer ainda mais as pessoas sobre as causas da doença e as formas de prevenção, que são em sua maioria muito simples. Hoje, com o avanço da ciência, o câncer tem cura e quanto antes for diagnosticado, mais efetivo será o tratamento.

No Brasil, são diagnosticados cerca de 60 mil novos casos de câncer de mama por ano. Esse tipo de câncer é o mais comum entre as mulheres em todo o mundo e o segundo no ranking do país. Mas, felizmente, com o avanço da medicina, o diagnóstico não é o fim. As chances de cura já chegam a 95% dos casos quando a doença é detectada no início.

A prevenção do câncer abraça diversas ações, que juntas colaboram na redução dos riscos de ter a doença. O autocuidado é um conjunto de práticas que devem ser adotadas pelas mulheres para preservar a saúde da sua mama. Práticas essas que geram resultados na redução do risco para o surgimento, e na detecção precoce no caso da doença aparecer.

E com os avanços da ciência, mesmo quem é diagnosticado com câncer, não precisa mais abandonar o sonho de ser mãe. Hoje, com as modernas técnicas de Fertilização In Vitro, congelamento de óvulos, entre outros, é possível ser mãe mesmo após vencer a batalha contra a doença.

Autocuidado antes de tudo

Uma das práticas mais conhecidas do autocuidado é o autoexame. Ele é importante para que a mulher conheça bem o seu corpo. Assim, ela pode perceber com facilidade qualquer alteração suspeita nas mamas. Se notar algo diferente, a mulher deve procurar um médico imediatamente. Somente ele é que poderá determinar se os sintomas correspondem ou não à doença.

Se porventura for um caso positivo, quanto mais cedo o câncer for diagnosticado e tratado, maiores são as chances de cura. Por conta disso é necessário estar atenta a algumas mudanças no corpo.Entre elas, observar o aparecimento de um nódulo no seio ou na axila.

Observar se existe dor ou inversão do mamilo, quando ele se volta para dentro da mama.Se tem algum tipo de secreção pelo mamilo, sanguinolenta ou não. Algum inchaço irregular em parte da mama, que pode ficar quente e vermelha. Uma irritação ou retração na pele, ou uma vermelhidão ou descamação do mamilo ou da pele da mama.

Autoexame para identificar o câncer

O autoexame, no entanto, não substitui as idas regulares ao médico, e nem a mamografia. Esse exame deve ser feito a partir de 40 anos. Nesse sentido, a mamografia é mais eficaz por detectar nódulos ainda muito pequenos, não perceptíveis pelo toque.

O câncer da mama inicial geralmente é assintomático, ou seja, você não percebe nenhum sintoma ou sinal.Ele só pode ser detectado através de exames (mamografia, ultrassom ou ressonância magnética).

Mulheres com histórico de câncer na família devem se antecipar. Eles devem iniciar a realização do exame 10 anos antes da idade que a parente tinha ao detectar o tumor. Antes dessa idade, as mulheres devem solicitar ao ginecologista a realização do exame clínico das mamas.

Prevenir é melhor que remediar

A prevenção do câncer de mama exige alguns cuidados. Prevenir impede que o câncer se desenvolva. Isso inclui evitar uma exposição aos fatores de risco de câncer e adotar um modo de vida mais saudável, com práticas e comportamentos considerados protetores. 

Manter hábitos saudáveis ajuda a reduzir o risco de desenvolver um câncer de mama (e de outros tipos). Evitar bebidas alcoólicas e cigarro. Ao fumar, mais de 4.700 substâncias tóxicas e cancerígenas são inaladas por fumantes e não fumantes. Parar de fumar e de poluir o ambiente é fundamental para a prevenção do câncer.

Praticar exercícios regularmente e vigiar a balança com um cuidado especial ajuda e muito. Manter um peso saudável ao longo da vida é uma das formas mais importantes de se proteger contra o câncer. A obesidade pode estimular as células da mama e gerar um tumor.

A gordura periférica do corpo pode converter hormônios resultando no aumento dos mesmos. Com isso, a estimulação pelo hormônio produzido pelo próprio corpo pode aumentar as chances de estimular esse crescimento celular irregular. A prática de exercícios físicos diminui o risco, principalmente quando a mulher perde peso, ou se mantém no seu peso ideal.

Mas mesmo atividades físicas de lazer, de leve intensidade, apresentam resultado rápido. Mulheres que praticam pelo menos 30 minutos diários de caminhada têm menos de chance de desenvolver câncer de mama.

Aliado aos exercícios: comer bem e ser saudável!

Uma alimentação rica em alimentos de origem vegetal, como frutas, legumes, verduras, cereais, feijões e leguminosas pode prevenir o câncer. Assim como reduzir o consumo de alimentos ultra processados.

Amamentar também significa proteção! O aleitamento materno é a primeira ação de alimentação saudável. A amamentação até os dois anos ou mais, sendo exclusiva até os seis meses de vida da criança, protege as mães. Além de protegê-las contra o câncer de mama, ajuda as crianças contra a obesidade infantil.

Alerta para outros tipos de câncer

Mulheres entre 25 e 64 anos devem fazer o exame preventivo do câncer do colo do útero (papanicolaou), a cada três anos. As alterações das células do colo do útero são descobertas facilmente no exame preventivo, e são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso, é importante a realização periódica deste exame.

Meninas entre 9 a 14 anos, e meninos entre 11 a 14 anos devem tomar a vacina contra o HPV. Ainda assim, mesmo as mulheres vacinadas, quando chegarem aos 25 anos, deverão fazer um exame preventivo. Isso porque a vacina não protege contra todos os subtipos do HPV.

Tomar a vacina contra a hepatite B também é importante.O câncer de fígado está relacionado à infecção pelo vírus causador da hepatite B e a vacina é um importante meio de prevenção. O Ministério da Saúde disponibiliza a vacina nos postos de saúde de todo o país para pessoas de todas as idades.

Evitar a exposição ao sol entre 10 e 16 horas e usar sempre proteção adequada também ajuda na prevenção. Evitar também a exposição a agentes cancerígenos no trabalho. Agentes químicos, físicos e biológicos ou suas combinações são causas bem conhecidas de câncer relacionado ao trabalho. Evitar ou diminuir a exposição a estes agentes seria o ideal e desejável.

Programa Proteger e a preservação da fertilidade

Os efeitos cruéis das intervenções durante a quimioterapia ainda continuam, trazendo consigo como grave sequela, entre elas, a falência precoce dos ovários. Com o câncer atingindo cada vez mais os jovens em idades férteis, fica o alerta. É necessário cuidar da preservação da fertilidade antes de iniciar o tratamento.

A reprodução assistida tem avançado muito. Já são oferecidas técnicas que permitem que as mulheres, consigam se tornarem mães futuramente. No IVI Salvador existe o “Programa Proteger”, que é voltado para pacientes oncológicas.

O Proteger é um programa que visa preservar a fertilidade das pacientes em tratamento contra o câncer. O objetivo é ajudar essas pacientes antes que elas enfrentem a batalha de quimioterapia, radioterapia ou tratamento cirúrgico.

Essas mulheres precisam da criopreservação de seus óvulos. Com isso, as chances de gravidez no futuro são ampliadas. O procedimento também favorece que, mesmo diante de um capitulo difícil na vida, elas realizem o sonho de ser mães.

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up