janeiro 9, 2023

Quem tem Útero invertido pode engravidar?

útero invertido

Comitê Editorial IVI Salvador

Também conhecido como retrovertido, o útero invertido nada mais é quando o útero fica posicionado para trás.

O útero é o órgão, onde o bebê se desenvolve. Ele fica localizado no interior da pelve, e apresenta um formato semelhante ao de uma pera invertida. Como ele não é fixo acaba se movendo por meio de diversos ligamentos.

A parte inferior (mais estreita) do útero fica em contato com a porção mais interna da cavidade da vagina. Essa região é chamada de colo do útero. Já a sua parte superior (a mais ampla) é o fundo do útero, que fica projetado para frente do abdômen. Entre o colo e o fundo, localiza-se o corpo do útero.

A posição do útero pode variar de mulher para mulher. Algumas pesquisas científicas apontam que cerca de 15% a 25% das mulheres tem útero invertido.

Causas do útero invertido

O útero invertido ocorre quando o fundo do órgão está direcionado para a coluna vertebral e para o reto.

Como se trata de uma variação anatômica do órgão a sua funcionalidade se mantem preservada. Às vezes, a inversão é uma alteração temporária, em decorrência do trabalho do parto ou de alguma cirurgia pélvica, por exemplo.

Porém, é possível que depois de uma gestação, os ligamentos responsáveis por manter o útero na posição adequada se tornem mais frouxos do que o normal. O que torna o órgão móvel, aumentando a possibilidade de o útero se mexer e virar para trás.

Além disso, o útero invertido também pode ser provocado por aderências depois do surgimento de endometriose, por sequelas de infecções pélvicas ou ainda por alterações anatômicas provocadas pelo desenvolvimento de miomas.

Existem sintomas?

O útero invertido é uma condição fisiológica, uma variação da anatomia e por conta disso não é considerada uma doença.

Por esta razão, muitas mulheres nem sabem que têm o órgão invertido até realizarem algum exame de rotina, como o ultrassom. A maioria das mulheres que tem útero invertido não apresentam sintomas.

A depender da causa algumas mulheres podem sentir desconforto ao urinar e evacuar e dor durante ou até depois das relações sexuais.

Também podem apresentar cólicas fortes antes e durante a menstruação, sensação de pressão na bexiga; e dificuldade de utilizar absorventes internos ou coletor menstrual.

Somente um especialista poderá fazer os exames de imagem necessários, como a ultrassonografia transvaginal, para confirmar a posição do útero.

Como a condição não gera implicações clínicas na grande maioria das vezes, normalmente não se recomenda nenhum tratamento clínico ou cirúrgico para esta situação.

Como e quando tratar?

Se indica o tratamento médico somente quando as pacientes apresentam sintomas que comprometem a sua qualidade de vida e isso está diretamente relacionado à causa.

Portanto, não precisa se preocupar…

Posso engravidar mesmo tendo o útero invertido? 

O fato de o útero estar numa posição invertida não causa infertilidade.

A condição também não dificulta a fecundação, ou a evolução saudável de uma gravidez.

O fato de ter o útero invertido não impede a mulher de ter um parto normal.

Não é necessária a realização de uma cesárea por essa razão.

Nos tratamentos de reprodução humana assistida, por exemplo, o especialista considera a posição do útero ao iniciar a investigação de infertilidade. Ou, ao programar o tratamento uma vez que mulheres com essa variação anatômica têm maior probabilidade de ser portadora de doença como a endometriose, que é uma causa importante de infertilidade.

Desta forma, o útero invertido associado à endometriose, aumenta a chance das mulheres terem mais dificuldade para engravidar.

“Em caso de sintomas como dores ou desconforto pélvico, cabe à mulher buscar ajuda de um médico especializado o quanto antes. Ainda que o útero invertido isoladamente não comprometa a saúde feminina durante uma gravidez e não cause infertilidade é preciso assistência médica para que a qualidade de vida não seja comprometida”, explica Dra. Tirza Ramos, do IVI Salvador.

A relação entre útero invertido e a gravidez também gera muitas dúvidas em relação à aparência da barriga, mas na verdade o órgão perde sua flexão em torno de 12 semanas de gestação.

Solicite a sua primeira consulta:

Comentários estão fechados.

Voltar ao topoarrow_drop_up