Solicite mais informações

Congelamento de embrião é seguro

embrioes congelados

Entre as preocupações de quem precisa de um tratamento de fertilização in vitro (FIV) para realizar o sonho da gravidez está a segurança das técnicas de reprodução humana com relação à saúde do bebê. Os mais de 5 milhões de nascimentos gerados a partir de tratamentos de fertilidade são uma evidência, mas é preciso assegurar todos os detalhes sobre os resultados. Por isso no IVI além de comprovar a eficácia de nossos tratamentos e técnicas antes de coloca-los em prática, também acompanhamos a saúde dos bebês que ajudamos a trazer ao mundo através de pesquisas. A última delas foi apresentada esta semana no Congresso ASRM, da American Society for Reproductive Medicina.

Especialistas do IVI apresentaram um estudo sobre o peso e o tempo de gestação dos bebês nascidos a partir de embriões frescos, comparado aos nascidos de embriões que estiveram congelados para comprovar que o congelamento de embrião é seguro. A pesquisa, que teve a participação de 360 mulheres, comparou irmãos nascidos da mesma mãe através de tratamento de Fertilização in Vitro com óvulos doados, isolando variáveis independentes que podem afetar a gravidez. Como resultado, não foram identificadas diferenças de peso e prematuridade entre os bebês.

Apesar do congelamento de embrião e também de óvulos ter deixado de ser experimental desde 2005, é importante continuar investigando e contrastar as diferenças, por mínimas que sejam, entre embriões congelados e embriões frescos. Nos tratamentos de reprodução o congelamento de embrião e de óvulos às vezes é necessário para uma futura gestação sem precisar de um novo ciclo de estimulação dos ovários, ou para sua implantação em um ciclo posterior à estimulação dos ovários por determinação médica.

“Controlamos os fatores como fenotípicos, clínicos e de laboratório e nenhum foi determinante para estabelecer uma preferência entre embrião congelado ou fresco”, comemora Dra. Daniela Galliano, diretora do IVI Roma e autora principal do estudo. Os resultados do estudo reforçam a segurança da técnica de congelamento conhecida como “vitrificação”, onde os embriões são congelados em nitrogênio líquido a uma temperatura de -196º.

A técnica de reprodução humana de vitrificação para o congelamento de embrião e óvulo tem ajudado tanto na eficácia dos atuais tratamentos de fertilidade, quanto na possibilidade de adiar a gravidez, para conservar para o futuro a qualidade genética dos óvulos ou embriões jovens, livres do impacto da idade, que costuma ser um fator importante para a infertilidade.

Compartilhar Facebook Twitter Google +