julho 8, 2020

O Grupo IVI se destaca no ESHRE – maior congresso europeu de medicina reprodutiva – e apresenta 50 comunicações

Comitê Editorial IVI Salvador

O maior congresso europeu dedicado à área de reprodução assistida e embriologia, o ESHRE – European Society of Human Reprotuction and Embriology – teve que se adaptar a nova realidade deste ano. Isso por causa da pandemia do novo coronavírus. A 36ª edição do evento este ano ia ser realizada na Dinamarca, mas não deixou de acontecer e trazer para o cenário da medicina, importantes estudos e descobertas que podem fazer a diferença na vida de muitos casais, homens e mulheres em busca da realização de seus sonhos.

Esse ano, mesmo tendo sido realizada em versão virtual, a reunião da ESHRE contou com números bastante expressivos. No total, foram 74 sessões, com 261 comunicações orais, 53 palestras de convidados e 810 painéis com os estudos mais recentes. Ao todo, foram quase 7.800 especialistas registrados. O congresso acontece de 05 a 08 de julho.

As novidades e os avanços da reprodução humana vêm sendo representados por médicos e embriologistas todos os anos no ESHRE. Na edição passada, que aconteceu em Viena, o IVI teve 49 comunicações aceitas.

Atuação do Grupo IVI no ESHRE

Com atuação em nove países, com quase 65 clínicas, o grupo IVI RMA Global se destacou nos dias de encontro online. Mais de 50 trabalhos foram apresentados em 2020. Foram 22 exposições orais e outros 30 painéis. Esse total é mais que o dobro em relação aos trabalhos da edição de 2018.

Os números nada mais são, do que amostras do compromisso do grupo IVI (Instituto Valenciano de Infertilidade) com a pesquisa e a inovação. Através desses pilares, as clínicas que fazem parte do grupo – inclusive o IVI Salvador – puderam contribuir com casais de todo o mundo a prosseguirem com os seus sonhos de ter ou aumentar a família. O avanço nas pesquisas da medicina reprodutiva já ajudou mais de 200.000 crianças a nascer.

Investir em pesquisa é um dos pilares do IVI. Ao todo, o grupo já possui mais de 1900 publicações científicas e desenvolve 15 linhas de pesquisa. Entre os assuntos que foram destaque nesta edição da ESHRE pelo IVI Espanha, estão: rejuvenescimento ovariano em mulheres sem resposta ovariana, inteligência artificial aplicada à seleção embrionária e preservação da fertilidade em mulheres com endometriose.

Atuação do IVI Salvador no ESHRE

Este ano, os especialistas da clínica IVI Salvador apresentaram dois trabalhos durante os dias de reunião online da ESHRE:

  1. Desenvolvimento embrionário e avaliação citogenética de zigotos que se apresentaram apronucleados após 18 a 20 horas de fertilização in vitro. 
  1. Avaliação da relação entre o valor do DNA mitocondrial e a qualidade dos embriões euplóides.

“Esses trabalhos mostram o compromisso da clínica em estar revisando os procedimentos associando as novas tecnologias disponíveis no mercado da reprodução humana para buscar soluções mais assertivas. Principalmente em casos que apresentam maior complexidade e que tendem a levar mais tempo a ser solucionado” ressalta Daniele Freitas, coordenadora do laboratório de FIV de Salvador.

Através de procedimentos que associam a medicina reprodutiva com estudos genéticos, têm surgido novas possibilidades de aprimorar o desenvolvimento embrionário. Isso permite alcançar o sucesso no tratamento de fertilização in vitro em casais que sofrem com os mais diversos tipos de infertilidade.

A importância do estudo genético para a reprodução assistida

O PGT – Teste Genético Pré-Implantacional é de extrema importância na reprodução assistida. É o estudo realizado para comprovar a saúde genética dos embriões. Tanto em relação às doenças hereditárias, quando para verificação de alterações cromossômicas não hereditárias que podem impedir o desenvolvimento do embrião ou provocar doenças ou anomalias genéticas como, por exemplo, a Síndrome de Down.

O diagnóstico de alterações genéticas e cromossômicas nas células dos embriões é realizado antes da gravidez. Portanto, os embriões devem estar em laboratório. Para ser realizado o procedimento de FIV. Após o estudo e desenvolvimento embrionário, o embrião é transferido para o útero materno.

A transferência de um embrião normal, após o estudo genético, diminui as chances de falha na implantação e gera gravidez com um bebê saudável e livre de doenças. ⁣

De modo geral, o PGT é indicado para mulheres com idade avançada e, principalmente com mais de 38 anos de idade.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Solicite a sua primeira consulta:

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up