setembro 29, 2020

Ter tireoide alterada pode dificultar a busca pela gravidez?

Ter tireoide alterada pode dificultar a busca pela gravidez?

Comitê Editorial IVI Salvador

A tireoide é uma das maiores glândulas do corpo humano. Com um formato de borboleta, ela está localizada na frente do pescoço. Fica logo abaixo da área onde nos homens, se localiza o pomo de adão. Ela também é responsável por regular a função de importantes órgãos. Como o coração, o cérebro, o fígado e os rins. Além disso, é fundamental saber se há alguma anormalidade em seu funcionamento. Tireoide alterada pode afetar diversos aspectos da vida.

A glândula tireoide é como se fosse um dirigente no nosso organismo. Sua função é produzir hormônios relacionados ao metabolismo e também ao ciclo reprodutivo. E é justamente por isso que ela também pode interferir na fertilidade. Daí a importância de se realizar o exame da tireoide logo quando a dificuldade para engravidar aparece. Ou quando já ocorreram abortos.

Um pouco mais de 2% das mulheres que apresentam problemas na tireoide, enfrentam dificuldades para engravidar. Inclusive aquelas que estão passando por um tratamento de reprodução assistida. Portanto, o alerta é redobrado. Estar atenta à saúde, fazer avaliações e checkups de tempos em tempos e mantê-la funcionando de forma adequada é de extrema importância. Além do controle de diversos órgãos vitais, os hormônios da tireoide exercem efeitos importantes também na função dos ovários. Pois, eles interagem com os hormônios da hipófise que estimulam a ovulação.

Alguns estudos demostraram que o hormônio T4, produzido pela tireoide, também favorece o desenvolvimento do óvulo fecundado. E quando a tireoide apresenta um funcionamento anormal, acaba interferindo na saúde reprodutiva da mulher e do homem. O que resulta em baixas taxas de concepção e risco de hemorragias. Problemas durante a gravidez e também no parto podem ocorrer.

De que forma os problemas com a tireoide podem afetar a fertilidade

Disfunções na tireoide podem causar problemas nas mulheres. Isso, porque os hormônios que são secretados pela glândula agem indiretamente nos ovários. Eles são fundamentais para estimular o desenvolvimento dos óvulos e também dos embriões. Quando ocorre um desequilíbrio na atividade da tireoide, ela passa a produzir os seus hormônios em excesso – hipertireoidismo, ou a não produzir quantidade suficiente dos hormônios – hipotireoidismo.

No entanto, nas duas situações, a saúde reprodutiva pode ser prejudicada. Já que para ocorrer a gravidez, os hormônios devem atuar em equilíbrio, favorecendo a ovulação e a implantação do embrião no útero, evitando desse modo o aborto.

Hipertireoidismo

Quando o diagnóstico é feito para hipertireoidismo, a glândula está trabalhando fora da sua normalidade. Provocando a aceleração, o aumento da função hormonal no organismo. Essa disfunção provoca falta de regularidade na menstruação, impede que aconteça a ovulação. Ainda pode aumentar as chances de aborto.

No hipertireoidismo, a tireoide está hiperativa e aumenta o metabolismo, fazendo com que todos os processos no corpo ocorram de maneira muito rápida. A interferência na fertilidade ocorre porque os ciclos menstruais tornam-se irregulares, podendo estimular a ovulação fora da fase lútea, impedir a ovulação e até mesmo causar infertilidade.

Apesar da dificuldade para ocorrer fecundação, algumas mulheres com hipertireoidismo conseguem engravidar. Mas é necessário o acompanhamento ainda mais constante por parte do médico. Pois, o grave desequilíbrio no metabolismo pode causar alterações no feto ou até mesmo provocar o óbito fetal.

Hipotireoidismo

Já o hipotireoidismo causa uma redução da produção hormonal, e provoca a falta o hormônio T4. Os casos de incidência de hipotireoidismo são muito mais comum do que os de hipertireoidismo.

Nesse caso, a disfunção provoca um funcionamento da glândula abaixo do padrão esperado. Com isso, os baixos níveis hormonais prejudicam a maturação dos óvulos e interferem diretamente no ciclo menstrual. Assim, a célula reprodutora feminina pode ser liberada pelos ovários em uma fase do ciclo imprópria para a implantação do embrião.

O hipotireoidismo aumenta o risco de aborto, mortalidade intrauterina, descolamento de placenta, estresse fetal e pode provocar até mesmo o parto prematuro.

É muito comum encontrar casos de mulheres com hipertireoidismo que não conseguem engravidar por simplesmente não ovularem devido a esses números desregulares dos hormônios.

Problemas na tireoide também afetam a fertilidade dos homens

Para os homens, essa instabilidade hormonal pode prejudicar a produção dos espermatozoides. Também provocar problemas de ereção. Para os que desejam ter filho, antes de iniciar as tentativas de engravidar, é necessário fazer todos os exames. Problemas na tireoide podem ser justamente a causa por trás da dificuldade de concepção.

As duas disfunções na tireoide podem acontecer em qualquer fase da vida. Tanto nas mulheres quanto nos homens. Vale também ressaltar que disfunções da tireoide são muito comuns na população e afetam vários órgãos. Se tem problema com hipotireoidismo ou hipertireoidismo, melhor tratar antes de tentar engravidar.

Como ficar atento aos sinais e quais os exames podem ser feitos

O mau funcionamento da glândula endócrina provoca diversos sintomas que podem ser notados por conta das alterações que provocam. Uma delas é que alterações no seu tamanho ou na sua consistência podem acontecer. Além disso, pode ocorrer a presença de nódulos ou dores no local.

Portanto, alterações no humor, no sono, palpitações e aumento da pressão também são sintomas que podem levar ao diagnóstico.

Alguns dos sintomas que podem ajudar a diagnosticar um paciente com hipertireoidismo são: possíveis alterações no humor como agitação e nervosismo; problemas em se concentrar, dificuldade de ganhar peso, mesmo sentindo mais fome. Já no caso do hipotireoidismo, quem sofre com o problema pode ter perda de memória e cansaço. Irregularidades no ciclo menstrual, ganho de peso, queda de cabelo e ressecamento da pele.

E, embora os distúrbios na tireoide sejam um percalço no caminho da tão desejada gravidez, o diagnóstico é simples. Através de exame de sangue. O médico endocrinologista irá solicitar o exame TSH (hormônio estimulante da tireoide). Também se avalia por ultrassonografia.

Esses dois exames conseguem detectar qualquer funcionamento anormal. E as alterações na tireoide podem ser tratadas para restabelecer o equilíbrio hormonal. Com o tratamento e o acompanhamento adequados, a fecundação e o desenvolvimento da gravidez podem acontecer de forma saudável.

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up