dezembro 15, 2020

Causas da ejaculação precoce

Comitê Editorial IVI Salvador

A ejaculação precoce é uma disfunção que afeta muito a qualidade da vida sexual de um homem. Sua característica principal é quando um orgasmo acontece mais cedo do que se deseja. Apesar de ser um problema relativamente comum entre os homens, é um distúrbio que está associado a vários fatores. Principalmente à ansiedade.

O problema é detectado quando o episódio se repete com frequência. Normalmente quando o homem não consegue satisfazer a parceira em pelo menos 50% das relações, confirma-se o distúrbio. E embora alguns indivíduos consigam controlar, a grande maioria dos ejaculadores precoces é ansiosa.

Em alguns casos, o descompasso é causado pelo fato da mulher necessitar de mais tempo para atingir o orgasmo. Mas, o problema é que quanto mais repetidas forem as ejaculações, mais ansiosos eles vão ficar, mais adrenalina vão produzir e mais rápido irão ejacular.

Muitas vezes a ansiedade é tanta que  alguns homens acabam desenvolvendo algum tipo de disfunção erétil. A ejaculação precoce pode ser frustrante e causar desconforto na relação.

Muitas vezes, o problema até acaba prejudicando o relacionamento. Mas identificando e acompanhando corretamente, pode ser tratado e proporcionar aos casais uma saúde sexual plena.

Sintomas da ejaculação precoce

O principal sintoma da ejaculação precoce é a incapacidade de retardar a ejaculação por mais de um minuto após a penetração. No entanto, o problema pode ocorrer em todas as situações sexuais, mesmo durante a masturbação.

A ejaculação precoce é muito comum na adolescência. O medo de não ter um bom desempenho, a falta de experiência, entre outros fatores, criam um estado de ansiedade que acelera o momento da ejaculação. Porém, existe a tendência de do problema desaparecer à medida que supera-se esses obstáculos.

A ejaculação precoce também pode ser secundária

Já a ejaculação precoce secundária pode acometer homens de qualquer idade. Estima-se que 1 em cada 3 homens tenham esse problema em algum momento da sua vida adulta. E, mesmo com uma vida sexual sem problemas ejaculatórios, a ejaculação precoce pode se desenvolver posteriormente.

Muitas vezes, o homem não sabe dizer quanto tempo leva para ejacular, mas as pesquisas indicam que o indivíduo sem problemas leva, em média, de dois a quatro minutos. Porém o tempo pode significar muito durante a relação sexual. Se o homem chega ao clímax mais cedo do que ele e a parceira gostariam, o sexo provavelmente não está sendo satisfatório para nenhum dos dois.

Muitos homens sentem que têm sintomas de ejaculação precoce, mas eles não atendem aos critérios diagnósticos para esta disfunção sexual. Em vez disso, esses homens podem ter ejaculação precoce variável natural, que inclui períodos de ejaculação rápida, bem como períodos de ejaculação normal.

“Ao identificar uma situação, seja ela qual for, que fuja da normalidade, o ideal é que o homem logo procure um especialista. A ejaculação precoce é algo que tem tratamento. Mas, se a avaliação for postergada, atrapalha a vida do casal, impede o sonho de ter filhos e mexe com o psicológico desse homem. Existem muitos tratamentos disponíveis hoje. O importante é dar o primeiro passo”, explica a médica Andreia Garcia, do IVI Salvador.

Situações externas podem agravar o problema

Quando o problema acontece com pouca frequência, não traz preocupação. No entanto, a ejaculação precoce pode ser uma disfunção se sempre ou quase sempre o homem ejacula com apenas um minuto de penetração. Mas, quando o homem atrasa muito a ejaculação, também é sinal de problema.

Por conta disso o indivíduo se sente angustiado e frustrado, e tende a evitar a intimidade sexual como resultado. Fatores psicológicos e biológicos podem desempenhar um papel importante na ejaculação precoce. Entre eles estão: experiências sexuais precoces e relações amorosas mal sucedidas.

Casos de abuso sexual também podem interferir na ejaculação. Assim como quando o homem tem uma imagem corporal distorcida ou timidez; depressão, e até o medo de engravidar a parceira ou de não satisfazê-la completamente.

Problemas profissionais que causam preocupação excessiva e ansiedade também entram nessa lista de possíveis gatilhos para o problema.

Algumas causas biológicas podem também contribuir para a ejaculação precoce. Níveis hormonais anormais; níveis anormais de substâncias químicas cerebrais chamadas neurotransmissores; alguma inflamação e infecção da próstata ou uretra; genética e condições hereditárias; e a diabetes.

Complicações provocadas pela ejaculação precoce

A ejaculação precoce pode provocar problemas na vida de um casal. Uma complicação comum é o desgaste na relação, causando estresse, falha na comunicação, algumas brigas e em alguns casos, até uma separação.

A disfunção pode também ocasionalmente trazer dificuldades aos casais que estão tentando engravidar. E mesmo a relação entre ejaculação precoce e fertilidade não sendo direta, ela pode representar um obstáculo para quem quer ter um filho.

Primeiro porque, nos casos mais agudos, o homem pode não conseguir ejacular dentro da vagina da parceira, atingindo o clímax antes da penetração. Nesses casos, como os espermatozoides não têm condições de chegar ao óvulo, é improvável que a gravidez aconteça.

Segundo é que o medicamento para tratar a ejaculação precoce afeta à qualidade do sêmen. E isso, sim, pode impactar os planos do casal. No entanto, é um prejuízo que passa. A partir do momento que o homem deixa de tomar a medicação, tudo voltará ao normal – em relação à qualidade dos espermatozoides.

Vale lembrar também que ejaculação precoce é diferente de impotência sexual.

O homem que sofre desse problema não é, necessariamente, infértil. Impotência é a dificuldade de manter o pênis ereto, enquanto a ejaculação precoce ocorre quando o homem chega ao auge da relação com poucos estímulos e em pouco tempo.

Existe tratamento para a ejaculação precoce

Existe tratamento para o problema e de forma geral, é um tratamento simples. O mais importante é deixar a vergonha de lado, procurar ajuda e se informar. Estar aberto ao tratamento psicoterápico ajuda a resolver a causa do problema. Ele pode envolver a participação da companheira, o que repercute também na melhora do relacionamento como um todo.

A ejaculação precoce pode ser tratada. O médico especialista pode indicar tanto um tratamento à base de alguns medicamentos, quanto um acompanhamento com um psicoterapeuta. Ou, os dois. A psicoterapia exige um pouco de paciência, mas pode ser muito eficaz.

E, caso o casal queira engravidar, o homem em tratamento com medicamentos deverá conversar com o urologista para decidir se será necessário interromper o tratamento ou não. Mesmo nos casos em que o problema é agudo (quando o homem não consegue ejacular dentro da parceira) existe a possibilidade de tratamentos na reprodução assistida. Que pode ser uma inseminação artificial, ou até mesmo uma fertilização in vitro. Depende de cada caso, pois investiga-se todo o histórico do casal para indicar o tratamento mais eficaz.

 

Solicite a sua primeira consulta:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topoarrow_drop_up